Literatura

História Hoje: Érico Verissimo morria há 41 anos deixando vasta obra literária

Gaúcho é autor de grandes obras como Incidente em Antares e sua obra-prima: O Tempo e o Vento


Agência Brasil
Agência Brasil
Do Agência Brasil | Em: 28/11/2016 às 13:33:18


Um dos maiores escritores brasileiros, Érico Verissimo nasceu na cidade gaúcha de Cruz Alta, no dia 17 de dezembro de 1905. Começou a escrever ainda adolescente e aos 24 anos alguns de seus contos já estavam sendo publicados em importantes jornais de Porto Alegre.

Três anos depois, em 1932, Érico Verissimo estreou no mercado editorial com uma coletânea de contos. Era seu primeiro livro chamado “Fantoches”. No ano seguinte, foi lançado seu primeiro romance “Clarissa”, que inauguraria uma trajetória de sucesso editorial. 

A carreira literária de Érico Verissimo é recheada de 36 obras – entre contos, romances, memórias e narrativas infanto-juvenis e de viagens. Entre essas obras está a trilogia “O Tempo e o Vento” (o continente, o retrato e o arquipélago), escrita durante 15 anos, entre 1947 e 1962.

Ele tinha a intenção de escrever um único volume, com cerca de 800 páginas, no prazo de três anos, mas a obra resultou em um romance épico sobre 200 anos de história do Brasil e do Rio Grande do Sul.

Érico Verissimo é um dos autores brasileiros mais conhecidos no exterior. Suas obras foram traduzidas em mais de 15 idiomas. Convidado pelo departamento de estado americano, ele chegou a lecionar literatura brasileira na Universidade da Califórnia, em Berkeley.

Veríssimo morou nos Estados Unidos por duas vezes. Dessa experiência surgiram novos livros – como o romance “O Senhor Embaixador”, que lhe rendeu o Prêmio Jabuti em 1965.  Anos depois, já no Brasil, Érico Verissimo começou a escrever sua autobiografia “Solo de Clarineta”. O primeiro volume de suas memórias foi publicado em 1973.

Já o segundo volume não chegou a ser finalizado, tampouco o novo romance que  se chamaria “A hora do Sétimo Anjo”. Érico Verissimo não teve tempo. Na noite do dia 28 de novembro de 1975, em porto alegre, ele morreu vítima de infarto, às vésperas de completar 70 anos.

A segunda parte da sua autobiografia “Solo de Clarineta” foi lançada em edição póstuma, em 1976, organizada pelo professor de literatura Flávio Loureiro Chaves. Érico Verissimo era casado com Mafalda Halfen Volpe. Tiveram dois filhos, Clarissa e Luiz Fernando, e seis netos. A casa onde ele nasceu, em Cruz Alta, foi transformada em museu em 1969.