COMBATE AO CORONAVÍRUS

HCamp de Águas Lindas será inaugurado sem leitos de UTI

Secretário de Sáude Ismael Alexandrino pontua que os pacientes que precisarem de Unidades de Terapia Intensiva poderão ser encaminhados para o Hospital Regional de Luziânia ou para o HCamp de Goiânia


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 26/05/2020 às 19:06:57
Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 26/05/2020 às 19:06:57

Unidade de Águas Lindas é uma das geridas em Goiás pela OS investigada (Foto: Alberto Ruy/Minfra)
Unidade de Águas Lindas é uma das geridas em Goiás pela OS investigada (Foto: Alberto Ruy/Minfra)

O Hospital de Campanha (HCamp) de Águas Lindas de Goiás entrará em funcionamento na próxima segunda-feira (1º/6), segundo o Secretário da Saúde Ismael Alexandrino. Porém, a unidade não contará com leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Isso, porque os 40 respiradores mecânicos que foram adquiridos para a unidade foram bloqueados pelo Governo Federal e encaminhados para outras regiões do Brasil, onde a situação está mais grave por causa donovo coronavírus.

“Não há previsão de fornecimento dos 40 ventiladores pelo Ministério da Saúde, que cedeu os 200 leitos de enfermaria. A depender do quantitativo de respiradores que a Secretaria dispuser, e também da demanda, serão instalados os leitos de cuidados intensivos. Enquanto não surgirem esses ventiladores a mais e se houver a necessidade de cuidados intensivos, no Entorno do DF, o paciente poderá ser transferido para o Hospital de Luziânia, que conta com leitos de UTI”, destaca o secretário, ao lembrar que o Estado busca conseguir pelo menos dez respiradores para a unidade.

O secretário aponta que a situação não muda muito a logística da região, pois os pacientes que necessitam de UTI já estavam sendo transferidos pela Luziânia. Além disso, pontua que, atualmente, a rede estadual dispõe de leitos de UTI suficientes para atender os pacientes que precisarem de atendimento. Ele destacou, também, que não há pacientes na espera da unidade.

A unidade será gerida pela Organização Social (OS) Instituto dos Lagos, do Rio de Janeiro, que foi contratado em caráter emergencial pelo Estado, após o repasse de gestão por parte do Ministério da Saúde à Secretaria de Estado da Saúde (SES), na última segunda-feira (25). Alexandrino destacou que a empresa já está no local e só aguarda para iniciar os trabalhos na próxima semana.

O titular da pasta de Saúde ressaltou que o hospital contará com profissionais para leitos críticos e semicríticos. Além disso, informou que há um processo de compra em andamento para aquisição de alguns aparelhos para a unidade, mas não citou quais seriam eles.

Ficha técnica

A expectativa do governo é que a unidade atenda uma população de cerca de 1,2 milhão de pessoas, dividida nas cidades de Águas Lindas, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso de Goiás, Novo Gama, Luziânia, Cidade Ocidental e Cristalina. De acordo com o boletim epidemiológico da SES, juntos, os municípios têm 272 casos confirmados da doença. Ainda é cogitado, em caso de necessidade, receber pacientes do Distrito Federal.

O HCamp conta com cinco mil metros quadrados de área construída. A estrutura da unidade está dividida em dois galpões: o menor será utilizado pelos profissionais da área da Saúde, como dormitório, refeitório, banheiros e higienização.

Vale lembrar que o local foi visitado por Ronaldo Caiado (DEM) e pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), no dia 11 de abril. A montagem do HCamp foi iniciada em 7 de abril e a unidade está pronta desde o último dia 23 de abril. A previsão de gastos era de R$ 10 milhões.

Ressalta-se, ainda, que o MS será responsável pelo aluguel e manutenção da estrutura física do hospital. Já a SES ficará a cargo de operacionalizar a unidade, com oferta de insumos, equipamentos de serviços, através da OS. O Ministério da Saúde entregou o hospital com com redes de gases, geradores elétricos e camas.