Roubo cibernético

Hacker que aplicava golpes em todo o Brasil é preso em Goiânia

Só em uma faculdade do Piauí, Wislley Correia, que morava em mansão avaliada em R$ 2,5 milhões aplicou golpe de R$ 10 mil





//

Dando apoio ao Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) de Teresina, no Piauí, agentes do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes (GREF) da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) prenderam na tarde desta quinta-feira (15/10) em um condomínio de alto luxo de Goiânia o hacker Wislley Correia de Oliveira, de 38 anos.

De acordo com as investigações, Wislley, que já possui passagens pela polícia por estelionato, furto e até estupro invadiu o computador de uma faculdade que fica na Zona Leste de Teresina e conseguiu fazer com que R$ 10 mil fossem transferidos para sua conta pessoal.

Conforme apurou o coordenador da Greco, delegado Carlos César Camelo, após introduzir um vírus no computador da faculdade, Wislley fazia com que o dinheiro pago por boletos emitidos pela instituição caísse em sua conta pessoal. “A faculdade gerava os boletos, mas no lugar do fornecedor estar recebendo o pagamento, o dinheiro migrava para contas bancárias do hacker, que antes da impressão alterava o código de barras”, relatou.

Mansão onde o hacker Wisley Correia morava em Goiânia (Foto: Divulgação/WhatsApp)Além de cumprir o mandato de prisão em desfavor de Wislley, os agentes da Deic apreenderam na mansão em que ele morava, avaliada em R$ 2,5 milhões, notebooks e aparelhos celulares que eram usados para aplicar o golpe. Quando preso, o acusado confirmou a prática dos delitos, e a suspeita da polícia é que ele tenha feito centenas de vítimas pelo Brasil.

“Um dos extratos apreendidos com Wislley mostra que em apenas um mês ele movimentou, somente em um dos vários cartões de crédito que possui, entre R$ 70 e R$ 80 mil Reais. Pelo padrão de vida que levava, e também pela casa que mantém aqui em Goiânia não temos dúvida que a faculdade do Piauí é apenas uma das centenas de vítimas que ele fez em todo o Brasil, o que esperamos comprovar agora com a prisão dele e a apreensão de todo o material” concluiu a Delegada Mayana Rezende, titular do GREF da Deic.