Do Mais Goiás

Gustavo Mendanha elege 24 dos 25 vereadores em Aparecida

“Nos últimos quatro anos todos fizeram parte da base. O Nascimento (DEM) fez oposição por um tempo, mas depois se tornou independente.” Segundo ele, parlamentares mantém fiscalização e cobrança; facilidade apenas na aprovação de projetos

Mendanha elege quase 100% na Câmara e vê situação semelhante a atual legislatura
Mendanha elege quase 100% na Câmara e vê situação semelhante a atual legislatura

O prefeito Gustavo Mendanha (MDB) parece confortável na gestão que assumirá no próximo ano, em Aparecida. Eleito com mais de 95% dos votos, ele também aglutinou 20 partidos em sua coligação. Além disso, dos 25 vereadores eleitos, 24 estão em uma destas siglas. Somente Marcelo da Saúde (PSC) era da chapa adversária, da candidata à prefeitura do governador Ronaldo Caiado (DEM), Márcia Caldas (Avante). O gestor admite que, ao menos, para aprovação de projetos a situação facilita.

Ele, contudo, diz não haver mudanças em relação a atual legislatura. “Nos últimos quatro anos todos fizeram parte da base. O [Manoel] Nascimento (DEM) fez oposição por um tempo, mas depois se tornou independente”, expôs.

Gustavo lembra, ainda, que veio do parlamento, então se relacionada bem todos, não só com vereadores. Além disso, ele afirma que não persegue qualquer partido e que aprendeu a ter esse relacionamento republico com o próprio Maguito (MDB), que foi seu antecessor e que atualmente é candidato à prefeitura de Goiânia.

Questionado se há risco de complacência e ausência de fiscalização, Gustavo diz que não. E ainda reforça que os vereadores que “mais deram trabalho”, no sentido de cobrança, era do MDB nestes últimos quatro anos. “Do ponto de vista de aprovar projetos, claro, reduz dificuldades”, admite.

Aprovação nas urnas

O prefeito também comentou sobre sua votação expressiva no pleito: 95,81% dos votos. “Minha responsabilidade aumento”, responde quando perguntado se isso pode deixá-lo mais à vontade, diminuindo o ritmo que o levou a esse patamar. “Sou muito autocrítico. Ninguém me cobra mais do que eu.”

Ele também comentou sobre o retorno das mulheres à Câmara. Segundo o emedebista, a expectativa era de fazer, ao menos, três vereadores.

“Fui vereador com a delegada Cibelly Tristão (PSDB) e via uma diferença no olhar dela em relação aos homens. Então, eleger duas foi positivo. Mas espero que elejam mais nas próximas”, concluiu.

Vereadores

Como dito, nesta gestão só houve uma parlamentar de oposição: Manoel Nascimento, do DEM. O vereador chegou a debater a possibilidade de disputar a prefeitura, mas acabou não entrando no páreo. Ele não tentou a reeleição.

Entre os 24 vereadores da coligação de Gustavo que foram eleitos estão 13, dos 20 partidos: MDB, PSDB, PV, Podemos, PDT, PL, Republicanos, Progressistas, PSD, PTC, PSB, Solidariedade e PV. No MDB, foram oito nomes (no mandato atual são nove). Confira todos AQUI.