Boa ação

Grupos de motociclistas se unem para doar sangue no HGG

Neste sábado, o evento Doe sangue ao som do Rock’n Roll abre as comemorações da Semana do Doador Voluntário de Sangue. Encontro terá show de Heavy Metal





//

Na manhã deste sábado, até o início da tarde, o Hospital Geral de Goiânia Alberto Rassi (HGG) e o Hemocentro de Goiás promovem a segunda edição do evento Doe sangue ao som do Rock’n Roll. A ideia, segundo os organizadores, é unir o útil ao agradável: música e solidariedade. Com o apoio de 15 grupos de motociclistas do Estado, o encontro terá ainda o show da banda Dry Mouth, que interpreta os principais clássicos do heavy metal.

O evento ocorre das 9 às 14 horas e abrirá as comemorações da Semana do Doador Voluntário de Sangue. A primeira edição aconteceu em 2014, quando 150 pessoas compareceram ao hospital. Durante a ação, 77 pessoas se candidataram e destas 51 estavam aptas e fizeram a doação.

Em 2015, a expectativa é superar estes números, explica o assessor de Tecnologia do Idtech e membro do grupo motociclista Metal & Óleo, Adonai Andrade. Ele, que é um dos colaboradores que apoiam a iniciativa, comenta que 250 pessoas já confirmaram presença no evento. “Nós conhecemos a realidade do Hemocentro e sabemos que por mais que campanhas sejam realizadas e diversas coletas sejam feitas diariamente, a demanda é muito grande. Por isso, estamos fazendo a nossa parte para suprir um pouco dessa necessidade.”

O Hemocentro de Goiás é responsável por abastecer os hospitais públicos do Estado, entre eles o HGG. Por isso, a unidade precisa constantemente de doações. De acordo com o coordenador da Divisão de Captação de Doadores do Hemocentro, Marcos Antônio de Oliveira, eventos como este são de extrema importância para atingir novos doadores. “Ainda mais com a proximidade das festas de final de ano, que nossos estoques caem muito. Com estas doações vamos poder deixar o Banco de Sangue em um nível aceitável para manter as cirurgias eletivas e de emergência”, destaca.

De acordo com a gerente do Banco de Sangue do hospital, Emilya Locatelli, o HGG utiliza cerca de 400 bolsas de sangue por mês. “Nós sabemos que o evento não vai conseguir suprir 100% a necessidade do Hemocentro hoje, e nem resolver o problema por um longo prazo. Mas temos consciência que promovendo ações assim vamos abrindo os olhos das pessoas para a importância da doação de sangue. É um trabalho social”, explica.

Emilya esclarece que para doar o voluntário precisa estar em bom estado de saúde, ter idade entre 16 e 69 anos, não estar em jejum, pesar acima de 50 quilos, não fumar duas horas antes e não ingerir bebida alcoólica no período anterior a 12 horas da doação. Além disso, pessoas com tatuagem e/ou maquiagem definitiva devem aguardar o prazo de um ano após o procedimento para doar, e nos casos de piercing, seis meses.