Do Mais Goiás

Grupo de trabalho é instituído para analisar Plano Diretor de Goiânia

Segundo a Seplahn, o grupo é formado por cinco servidores municipais, quatro vereadores e dois representantes da sociedade civil

A Prefeitura de Goiânia fará um drive-thru para entregar mudas de árvores nativas do Cerrado nesta segunda-feira (7).(Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)
A Prefeitura de Goiânia fará um drive-thru para entregar mudas de árvores nativas do Cerrado nesta segunda-feira (7).(Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

A Prefeitura de Goiânia instituiu um grupo de trabalho para analisar o Plano Diretor da capital. Os membros indicados ficarão responsáveis de verificar, de maneira conjunta, as emendas apresentadas pela Câmara Municipal, assim como a por adequar o documento com demandas apresentadas pela população nas audiências públicas realizadas na Casa.

Segundo o Diário Oficial do Município, o grupo será composto por cinco servidores da administração municipal, quatro vereadores e dois representantes da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-Go) e do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Horizontais, Verticais e de Edifícios Residenciais e Comerciais no Estado de Goiás (Secovi-Go).  Eles terão o prazo de 90 dias para conclusão dos trabalhos e apresentar o relatório ao prefeito de Rogério Cruz.

A intenção da gestão é encontrar um consenso entre a proposta formulada pelo Poder Executivo, as sugestões apresentadas pela população durante a série de audiências públicas realizadas pelo Poder Legislativo e as emendas propostas pelos vereadores da legislatura anterior. “Nas últimas eleições, a Câmara de Goiânia teve uma renovação de cerca de 62% e, com certeza, esses novos vereadores também possuem sugestões, por isso, a nossa intenção é discutir com a Câmara o projeto”, ressalta o secretário de Planejamento Urbano e Habitação (Seplahn), Agenor Mariano.

O secretário ainda pontua que a formação do grupo visa buscar maior diálogo do Executivo com a sociedade e com o Poder Legislativo para evitar quaisquer questionamentos jurídicos após aprovação do projeto. “Sabemos o quanto este projeto é importante na construção da cidade e as implicações que ele traz na vida de toda a população e, por isso, queremos que ele atenda, além das demandas da sociedade, todos os princípios legais que fundamentam o planejamento urbano, pensando sempre no melhor para a cidade e nossa população”, destaca.

Nomes

Segundo o diário, os nomes escolhidos do Poder Executivo foram: o secretário Executivo da Seplanh, Michel Magul; a superintendente de Planejamento e Gestão Sustentável, Carolina Pereira; a Diretora de Planejamento e Gestão do Plano Diretor, Eliany Coutinho e os arquitetos e urbanistas Jonas Lobo e Germana Arantes, coordenadora dos trabalhos do eixo de Ordenamento Territorial na confecção do Projeto de Lei Complementar n. 023/2019.

Já os representantes indicados pelo presidente da Câmara Municipal, Romário Policarpo, foram Bruno Diniz, Santana Gomes, Cabo Senna e Sabrina Garcez. Os representantes da sociedade civil são Marcelo Borges e João Victor Araújo.