Do Mais Goiás

Grupo de Homicídios reconstitui morte de soldado da PM em Aparecida

Procedimento está marcado para as 21h, na Av União, no Setor Garavelo Residencial Park, local em que o PM foi atingido por disparo de arma de fogo na cabeça

Na próxima quarta-feira (23), a morte do soldado da Polícia Militar, Wallison Miranda Costa, de 28 anos, completa um ano, ainda sem solução. (Foto: reprodução)

O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia realiza, na noite desta terça-feira (1º), a reconstituição do homicídio que vitimou o soldado Walisson Miranda, da Polícia Militar (PM). Caso aconteceu no último dia 23 de setembro, na região Metropolitana da capital.

Conforme informações repassadas pela Polícia Civil (PC), o procedimento está marcado para as 21h, na Av União, no Setor Garavelo Residencial Park, local em que o PM foi atingido por disparo de arma de fogo na cabeça. Constituição será conduzida pelo delegado responsável pelo caso, Charles Lobo.

As investigações permanecem sob sigilo, e, por isso, não são repassadas informações acerca de possíveis autores e andamento da apuração. Na última quinta-feira (26), os policiais militares que participaram de operação juntamente com o soldado Walisson entregaram as armas usadas pela equipe na ocorrência no dia em que o militar foi morto. Não foram reveladas quantas e quais armas foram entregues, bem como o motivo do pedido.

Os militares, que estão lotados no Comando de Policiamento Especializado (CPE), foram ouvidos na última quarta-feira (26), mas o teor dos depoimentos também não pôde ser divulgado.

Relembre

O soldado Walison morreu na madrugada da última segunda-feira (23) após passar por uma cirurgia para retirada de uma bala que ficou alojada em sua cabeça. O policial foi baleado na noite de domingo (22) quando fazia patrulhamento no Anel Viário, em Aparecida de Goiânia.

Segundo informações iniciais, repassadas pela PM, uma equipe do Serviço Reservado da Companhia de Policiamento Especializado (CPE) trafegava em uma viatura descaracterizada pelo Anel Viário quando uma camionete S10 preta encostou do lado e o ocupante que estava no banco do carona efetuou vários disparos.

Um dos tiros atingiu a perna do sargento Marques e outro, a cabeça do soldado Walison. Ambos foram socorridos inicialmente para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Setor Buriti Sereno, mas diante da gravidade, o soldado foi levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde passou por uma cirurgia e não resistiu aos ferimentos. O sargento baleado na perna foi medicado e liberado em seguida.

O corpo PM foi enterrado na terça-feira (24) no Cemitério Jardim da Esperança, em Aparecida de Goiânia. A corporação publicou uma homenagem ao soldado no perfil oficial em uma rede social. Na postagem, a corporação lamentou o ocorrido e alegou que Walison era “destemido e honrado”. “Lamentamos profundamente a perda do nosso guerreiro. Que Deus conforte a todos os familiares e amigos e o receba em Seus braços”, diz o texto.