Greve de caminhoneiros pode provocar desabastecimento nos supermercados em Goiás

Afirmação é do presidente da Associação Goiana dos Supermercados (Agos), Nelson Alexandrino. Preços de alguns produtos já começaram a subir


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 24/05/2018 às 10:09:50

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A greve de caminhoneiros que começou nesta segunda-feira (21) em todo o país pode provocar desabastecimento nos supermercados. A afirmação é do presidente da Associação Goiana dos Supermercados (Agos), Nelson Alexandrino, que destacou que alguns produtos já estão em falta em estabelecimentos da capital.

O setor de frutas, verduras e hortaliças é o mais atingido com o bloqueio das estradas, segundo Nelson, porque são produtos que vêm de outros estados ou do interior. “Verduras não duram muito tempo, então a gente compra num dia pra vender no outro. Mas agora não está chegando na Ceasa, que é nosso maior distribuidor de frutas e verduras”

Banana, manga e mamão, ainda de acordo com o presidente da Agos, já começou a faltar no Centro de Abastecimento de Goiás (Ceasa). Outros produtos, como a batatinha, acabaram sofrendo uma alta expressiva nos preços: de cerca de R$ 50 saltou para R$ 300, a saca. “São produtos que não conseguem chegar e, quando chegam, eles acabam sofrendo essa alta proque a procura é muito grande”, ressaltou.

Embora a situação seja preocupante, Nelson ressalta que os estabelecimentos da capital têm se esforçado para manter seus estoques e que a população não precisa entrar em pânico. Contudo, o presidente da Agos destaca que o governo precisa tomar uma atitude rápida, pois, se a greve dos caminhoneiros continuar, poderá sim haver desabastecimento em todo o estado, além de outros problemas. ” O governo tem que tomar uma atitude mais enérgica para não causar um prejuízo ainda maior para a população, como uma inflação desenfreada.”