Operação Lava-Jato

Graça Foster sugeriu a Dilma demissão de toda a diretoria da Petrobras

Proposta foi feita antes de revelações envolvendo a presidente da estatal





//

Em meio a revelações de que a atual presidente da Petrobras, Graça Foster, foi informada de desvios na empresa antes mesmo da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal – que desbaratou um gigantesco esquema de corrupção na estatal – a Petrobras adiou pela terceira vez a divulgação de seus resultados financeiros do terceiro trimestre de 2014.

Em comunicado, a companhia destacou que decidiu postergar a publicação devido a novos fatos relacionados à Lava-Jato.

Os novos fatos fizeram aumentar a pressão pela demissão de Graça Foster da presidência da Petrobras, e dos demais atuais diretores da empresa.

Segundo apurou a GloboNews, Graça Foster propôs à presidente Dilma Rousseff, em encontro na última quarta-feira (10/12), em Brasília, a substituição dela e dos demais diretores da empresa. O encontro não constou da agenda oficial de Dilma.

No encontro, afirma a reportagem, a presidente da Petrobras discutiu a crise na estatal e avaliou que, independentemente das suspeitas, o desgaste chegou a tal ponto que a gestão da empresa está comprometida, opinião compartilhada por outros diretores da companhia.

Nesta sexta-feira, a oposição cobrou a demissão de Foster e seus diretores.