ECONOMIA NA EDUCAÇÃO

Governo fecha escolas, remaneja estudantes e demite funcionários, em Goiás

Reordenamento da rede pública de ensino em todas as 1.160 unidades de ensino do Estado é justificativa para “otimização dos recursos públicos”


Jairo Menezes
Do Mais Goiás | Em: 17/01/2019 às 18:17:21

Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce). (Foto: Divulgação / Seduce)
Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce). (Foto: Divulgação / Seduce)

O temor ronda servidores, pais e estudantes de Colégios e Escolas públicas estaduais há 4 dias do início das aulas. O que é anunciado pelo governo como reordenamento da rede pública, com intenção de otimizar os recursos públicos, acarreta em fechamentos de unidades escolares, transferência de competência do ensino a municípios e até demissões de cargos comissionados. Funcionários concursados estão sendo chamados aos locais de origem.

Fontes do Mais Goiás informaram que, pelo menos três unidades, com estudantes até o 5º ano do Ensino Fundamental serão fechadas; cinco passarão a ser administradas pelos municípios e ainda turnos de ensino com turmas de poucos alunos serão encerrados. Em todo o Estado existem 1.160 escolas e colégios. Apesar de a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce) negar, estudantes e pais se dizem prejudicados.

Na tarde desta terça-feira (15) a Seduce informou que em 60 dias, mudará a sede da pasta para o prédio do Instituto de Educação de Goiás (IEG), na Avenida Anhanguera, do Setor Universitário. O fechamento do Instituto causou revolta em estudantes, que serão remanejados para outras instituições conforme a série em que estudam.

Atualmente a unidade, mesmo com capacidade para atender mais, tem 202 alunos matriculados, que seriam remanejados, conforme a secretaria, da seguinte forma: alunos de nível médio poderão optar pelo Colégio Pré-Universitário (Rua 240, no Setor Universitário), e o Colégio Estadual Olga Mansur (Rua 243, Vila Monticelli); estudantes do ensino fundamental, as opções são o Colégio Estadual Dom Abel SU (Rua 260, Setor Leste Universitário), de tempo integral; e Colégio de Aplicação do IEG, que funciona em área anexa ao prédio.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (16), a secretária afirmou que a mudança é uma questão de economia de R$ 500 mil para os cofres públicos. “Não temos mais dinheiro para pagar aluguel. Essa é a realidade”, disse.

ANICUNS
A Seduce se negou, mesmo com pedido feito pelo Mais Goiás durante a tarde, a responder quais serão as unidades que serão fechadas e onde haverá encerramento de turnos de ensino. Pela manhã, através de um e-mail, a Assessoria de Comunicação Setorial da pasta confirmou que mais de 200 estudantes de Anicuns serão transferidos para escolas municipais de Anicuns, após o encerramento das atividades da Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida.

A situação causou dúvidas e preocupação a pais de estudantes. Débora Elenn, de 31 anos, é uma das mães de um estudante do 5° ano do Ensino Fundamental. O filho dela, Daymon Lorenzo, 10, há 4 dias do início das aulas, ainda não sabe para onde será remanejado. “Disseram apenas para procurarmos uma nova unidade na rede municipal”, narra a mãe. Ela lamenta a falta de opções na cidade, já que dois colégios que atendiam o nível fundamental também foram fechados em 2018.

Estudantes teriam sido pegos de surpresa, com o comunicado. “Muitos já compraram uniforme e lista de materiais. Agora teremos mais gastos porque as exigências de outras escolas são diferentes”, disse Débora Elenn.

PROFESSORES
A falta de notícias sobre o fechamento da instituição não é algo exclusivo de pais e alunos. Professores e servidores da escola também não sabem para onde serão remanejados, segundo uma funcionária que preferiu não se identificar por temer represália.

Segundo ela, havia burburinhos sobre o fechamento da unidade nos primeiros dias do ano. Apesar disso, os profissionais estavam confiantes. “É uma escola de tradição, não achamos que realmente seria fechada. Agora estamos à deriva, sem saber para onde iremos. Não há informações concretas sobre nosso futuro”, afirmou.

Nota da Seduce

A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce), a respeito da Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida, em Anicuns, no processo de reordenamento da rede pública estadual de ensino para o ano letivo 2019, esclarece o seguinte:

Como se trata de alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º Ano), fase da Educação Básica de responsabilidade do município, a Secretaria Municipal de Educação de Anicuns assumirá a demanda da escola em duas unidades do município: Escola Municipal Manoel Garcez Bueno e Escola Municipal José Vicente Santana. Os alunos não serão separados da turma, pois a transferência está acontecendo da seguinte forma: a Escola Municipal Manoel Garcez Bueno receberá todas as turmas que seriam atendidas na E. E. Nossa Senhora no turno vespertino e mais 2 turmas do turno matutino e a Escola Municipal José Vicente Santana receberá as demais três turmas.

Atualmente a escola atende 233 alunos assim distribuídos:

– Turno matutino
1º ano – 25 alunos
2º ano – 19 alunos
3º ano – 28 alunos
4º ano – 26 alunos
5º ano – 31 alunos

– Turno vespertino
2º ano – 27 alunos
3º ano – 17 alunos
4º ano – 31 alunos
5º ano – 29 alunos

Em relação aos servidores da escola, a Seduce informa que serão remanejados para as escolas estaduais da cidade. Informa, também que as aulas na rede estadual serão iniciadas na próxima segunda-feira, dia 21. O reordenamento da rede pública estadual de ensino é feito, anualmente, com vistas à otimização da utilização dos recursos públicos.

Goiânia, 17 de janeiro de 2019.