Da Redação
Do Mais Goiás

Governo distribui kits alimentação para estudantes em Goiás

Estado vai destinar cerca de R$ 60 milhões para aquisição dos itens que compõem benefício

Posto de distribuição de kits alimentação em escola pública de Goiás (Foto: Governo do Estado)

A Secretaria Estadual de Educação iniciou, na última segunda-feira, a distribuição de kits alimentação para alunos da rede pública de ensino que estão em regime remoto de aulas – e, portanto, impossibilitados de ter acesso à merenda servida nas escolas.

Cada kit é composto por dois kg de arroz tipo 1; um kg de feijão tipo 1; um kg de macarrão e 340 g de molho de tomate – e itens da agricultura familiar, incluindo três kg verduras, frutas ou legumes variados. Esses alimentos serão adquiridos pelas escolas por meio de licitação ou chamada pública.

Em razão da retomada parcial das aulas presenciais em 8% das escolas estaduais, a distribuição dos kits deve atender a diferentes critérios neste ano. Nas unidades escolares onde foi adotado o modelo de aulas híbrido, por exemplo, os alunos em regime presencial devem receber a merenda escolar na própria escola e os demais, que acompanham as aulas de forma remota, receberão os kits.

Cronograma de entrega dos kits alimentação

Neste primeiro semestre letivo, de modo a garantir a isonomia no processo de distribuição dos kits, as escolas da rede estadual de Educação adotarão um cronograma de entrega.

O primeiro kit, referente aos meses de janeiro e fevereiro de 2021, deve ser entregue nas escolas a partir do dia 22 de fevereiro. Nesse período, os pais ou responsáveis dos estudantes que estão em regime de aulas não presenciais deverão comparecer na unidade escolar do aluno para fazer a retirada do kit e assinar o termo de recebimento.

Nessa primeira entrega, em razão da realização da avaliação diagnóstica nas escolas, os pais poderão optar por autorizar que os próprios estudantes façam a retirada dos kits nas escolas.

De acordo com a gerente de Orientação e Articulação das Coordenações Regionais e Alimentação Escolar, Terezilda Luiz da Silva, a ampliação do prazo para a entrega dos alimentos às famílias dos estudantes é uma das medidas de biossegurança pensadas para reduzir a aglomeração de pessoas. “É um período maior para a escola e os pais se organizarem”, afirma.

Além disso, as escolas receberam orientações do Protocolo de Biossegurança para Retorno das Atividades Presenciais nas Instituições de Ensino de Goiás para garantir a segurança durante a distribuição dos kits.

Escolas de Tempo Integral também receberão kits

Os estudantes do Centros de Ensino em Período Integral (Cepis), em razão das especificidades de sua carga horária, terão critérios específicos para uso dos recursos da merenda escolar.

Nas unidades onde foi adotado o regime híbrido, com 30% dos estudantes em aulas presenciais e 70% em Reanp, a orientação é que os estudantes que estejam frequentando a escola sejam atendidos pela merenda escolar, com refeições reforçadas.

“Para os alunos do tempo integral que retornarão serão distribuídas, pelo menos, duas refeições. A gente entende que o valor nutricional, o mínimo que ele precisa, ele já vai receber na escola”, explica a gerente de Orientação e Articulação das Coordenações Regionais e Alimentação Escolar. Por isso, segundo ela, não há a necessidade da entrega dos kits de alimentos.

De acordo com Terezilda Luiz, o atendimento será feito da seguinte forma: o aluno do tempo integral, que está dentro do sistema híbrido e permanece um período do dia na escola, receberá duas refeições – um lanche e o almoço. Considerando que ele teria direito a três refeições diárias, a unidade escolar poderá realizar a reordenação dos recursos dessa terceira refeição, garantindo uma maior qualidade nutricional no lanche servido.

Para os demais estudantes, que conforme o rodízio mensal acompanham as aulas de forma não presencial, será entregue o kit alimentação.