Educação

Google, Facebook e outros gigantes se unem para qualificar refugiados

Ao lado de empresas como Twitter e Microsoft, empresas buscam ajudar na formação destas pessoas




A Casa Branca divulgou a lista de empresas que responderam ao pedido de Barack Obama em junho para ajudar no esforço global em nome dos refugiados de guerra. Segundo o Mashable, Google, Twitter, Microsoft, Facebook e outras grandes companhias de tecnologia aparecem na lista que também especifica quel papel irão exercer.

 

O Google, por exemplo, irá financiar a educação de 10 mil crianças libanesas além de ter doado US$ 5.3 milhões em Chromebooks para refugiados na Europa. Já o Facebook fornecerá internet gratuita para os refugiados na Grécia e nos campos. Além disso, ela irá arrecadar doações e fundos para eles.

 

A Microsoft também irá financiar programas educacionais e de formação de ONGs e pretende construir o próprio centro para capacitação de refugiados. A HP possui um dos planos mais ambiciosos: construir seis centros educacionais para crianças e adultos no Líbano e na Jordânia.

 

Já a desenvolvedora de games Zynga vai usar seu Words with Friends para ensinar inglês e árabe para os refugiados. Por fim, a Coursera irá dar a oportunidade de graduação superior para os refugiados, oferecendo mais de 1000 cursos em sua plataforma.