POLÍCIA CIVIL

Golpista usou dados de professores da UFG para praticar crimes

Polícia Civil apresenta, às 10h30 desta segunda-feira, balanço parcial da operação Data Saving


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 21/06/2020 às 18:24:38

Campus da Regional da UFG em Jataí. (Foto: Reprodução/UFG)
Campus da Regional da UFG em Jataí. (Foto: Reprodução/UFG)

A Polícia Civil apresenta, às 10h30 desta segunda-feira, detalhes da operação desencadeada na última quinta que resultou na prisão preventiva de um suspeito de usar dados de professores da Universidade Federal de Goiás (UFG) para abrir contas bancárias, contratar empréstimos, realizar compras e até desviar salários das vítimas. 

O responsável pela operação é o delegado Cássio Arantes do Nascimento, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC). As investigações começaram em abril, a partir de denúncias formalizadas por professores da Universidade. Além da prisão do suspeito, que mora em Valparaíso (na região do entorno do Distrito Federal), a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão. A operação foi batizada como Data Saving. 

A polícia adianta que foram apreendidos documentos suficientes para comprovar a responsabilidade do suspeito na prática dos crimes. Os agentes trabalham com a tese de que o criminoso utilizou-se de informações que constam no portal do Sistema de Gestão de Pessoas (Sigep), do governo federal. A DEIC investiga se há outras pessoas envolvidas no crime.