Emprego

Goiás registra queda no saldo de empregos no mês de outubro

Segundo dados do Caged, o estado goiano ficou com 3.565 postos a menos


Juliana França

Do Mais Goiás | Em: 21/11/2018 às 19:20:36


(Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Publicas)
(Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Publicas)

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, divulgados nesta quarta-feira (21), Goiás registrou queda no saldo de empregos no mês de outubro. Foi registrada a abertura de 47.058 novos postos e um total de 50.623 desligamentos.

O estado goiano ficou com 3.565 postos a menos, uma queda de 0,29% em relação ao mês anterior. Em Goiás, apenas três dos oito principais setores econômicos tiveram saldo positivo. O principal deles foi o de Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP), com a criação de 208 novos postos de trabalho, crescimento de 0,45% em relação a setembro.

O Comércio foi o segundo setor com melhores resultados (+11.906 postos), com um acréscimo de 0,20%. O terceiro melhor resultado ficou com o setor de Serviços (+17.129 postos). Tiveram saldo negativo os setores da Indústria de Transformação (-3.473 postos), Construção Civil (-504 postos), Agropecuária (-758 postos), Extrativa Mineral (-12 postos) e Administração Pública (-16 postos).

Brasil

No país, o mês de outubro fechou com saldo positivo de 57.733 postos de trabalho formais, o que representa um acréscimo de 0,15%, em relação ao mês anterior. O desempenho é resultado de 1.279.502 admissões e 1.221.769 desligamentos.

O aumento no número de empregos foi registrado em seis dos oito setores econômicos. O melhor desempenho foi observado no setor de Comércio, com expansão de 34.133 postos de trabalho. O segundo setor com saldo mais expressivo foi o de Serviços, com geração de 28.759 empregos formais. O setor de Indústria de Transformação, com 7.048 vínculos, foi o terceiro em desempenho em outubro.

Também apresentaram crescimento no número de postos de trabalho os setores de Construção Civil (+560 postos); Extrativa Mineral (+377 postos); e Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) (+268 postos). Apenas os setores de Agropecuária (-13.059 postos) e Administração Pública (-353 postos) tiveram queda.

Regional

Houve aumento no número de empregos em quatro das cinco regiões do Brasil. No Sul, foram mais 25.999 postos de trabalho (+0,36%). Em seguida aparecem Sudeste, com 15.988 vínculos (+0,08%); Nordeste, com 13.426 (+0,21%); e Norte, com 2.379 empregos (+0,14%). No Centro-Oeste, o saldo se manteve estável (-59 postos).

O crescimento no número de vínculos empregatícios foi registrado em 23 das 27 unidades federativas. Os destaques foram São Paulo, com mais 13.088 postos de trabalho (alta de +0,11%); Santa Catarina, com mais 9.743 empregos (+0,49%); Rio Grande do Sul, com 9.319 (+0,37%); Paraná, com 6.937 (+0,26); e Ceará, com 3.669 (+0,32).

Os quatro estados com queda no saldo de empregos foram Goiás, com 3.565 postos a menos (-0,29%); Pernambuco, que perdeu 1.330 vínculos (-0,11%); Rio de Janeiro, com -847 postos (-0,03%); e Rondônia, com -374 (-0,16%).

Tópicos