Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás

Goiás registra cinco mortes confirmadas por Covid-19, diz Secretaria de Saúde

Número de casos chega a 119. Outros 2.657 estão em investigação. Quatro mortes foram em Goiânia e um em Luziânia

Goiás tem 267 novos casos de coronavírus em uma semana
Goiás tem 267 novos casos de coronavírus em uma semana

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) atualizou o número de mortos pela Covid-19 em Goiás na tarde desta segunda-feira (6). Agora, o Estado registra cinco mortes pela doença. Além disso, há 119 casos confirmados e outros 2.657 em investigação. Outros 1.266 já foram descartados.

Das mortes registradas, quatro foram em Goiânia e uma em Luziânia. Outras quatro estão sendo investigadas, sendo  (1) em Araçu, (1) em Bonfinópolis, (1) em Luziânia e (1) que aguarda a confirmação do município de residência da pessoa. Dez óbitos já foram descartados.

Entre as vítimas fatais, estão Arnaldo Barbosa Lima, de 62 anos. Ele era cunhado do ex-senador Demóstenes Torres. Outra morte registrada é de  Adelita Ribeiro da Silva, de 38 anos. Ela era técnica em enfermagem e morreu no Hospital do Coração. Ela trabalhava no Hemolabor e no Cais Novo Mundo. Os demais mortos são um idoso de 87 anos, morador da capital, e da idosa de 66 anos, moradora de Luziânia. A outra vítima não teve a idade divulgada.

Casos

De acordo com a pasta, os casos de Covid-19 confirmados se concentram em Águas Lindas de Goiás (1), Anápolis (8), Aparecida de Goiânia (1), Bom Jesus de Goiás (1), Campestre (1), Catalão (1), Cidade Ocidental (1), Goianésia (1), Goiânia (73)*, Itumbiara (2), Jataí (3), Luziânia (6)*, Nova Veneza (1), Paranaiguara (1), Rio Verde (8), São Luís dos Montes Belos (1), Senador Canedo (1), Silvânia (1), Trindade (1) e Valparaíso de Goiás (6).

Brasil

Já em todo o país, 553 mortes foram confirmadas por Covid-19 e o número de casos  passam dos 12 mil, de acordo com o Ministério da Saúde (MS). O Acre, que era o único estado brasileiro que não tinha registrado vítima, confirmou a primeira morte nesta segunda-feira (6).

Além disso, o novo coronavírus trouxe um racha pela permanência do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no cargo. A exoneração do médico do cargo estaria sendo preparada para esta tarde e sairá no Diário Oficial da União após uma reunião marcada entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, com todos os ministros. A informação foi confirmada pelo O Globo com dois auxiliares do presidente.