Goiás Mostra Artesanato exibe trabalhos em cerâmica

A mostra fica aberta ao público diariamente em horário comercial, podendo ser conferida até o próximo dia 31, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

Em sua 14ª edição o Goiás Mostra Artesanato traz obras do artesão Leandro Carvalho Gonçalves, de 17 anos, de Ipameri, que retratam, com peças em argila, a simplicidade do homem e da mulher que vivem no campo. A mostra fica aberta ao público diariamente em horário comercial, podendo ser conferida até o próximo dia 31, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

As mostras fazem parte do Programa do Artesanato Goiano, ação desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), e promovida pela Gerência de Artesanato da Superintendência de Micro e Pequenas Empresas.

Segundo o gerente, André Franco, o objetivo das exposições é mostrar a qualidade do artesanato produzido em Goiás e valorizar o artesão goiano, apresentando individualmente o trabalho desses profissionais. Ao final do programa será produzido um catálogo com o melhor do artesanato goiano e as diferentes técnicas utilizadas pelos artesãos do Estado.

O ceramista
Leandro Carvalho Gonçalves é estudante do 2º ano do Ensino Médio e trabalha na Cerâmica Boa Nova, em Ipameri. Aos sete anos de idade ele teve o primeiro contato com a argila. À época, uma instituição social que frequentava oferecia oficinas de bordado, pintura e argila, entre outras atividades. Há alguns anos, passou a comprar argila na cerâmica e levar para casa, aonde passou a moldar estatuetas de homens na roça, com enxadas e arados, no plantio e na colheita, e mulheres na lida doméstica e no trato dos animais, entre outros temas.

Foco na simplicidade
O jovem artesão morou na roça e por isso foi buscar naquele universo a inspiração. “O que me chama mais atenção nas pessoas que moram na roça é a simplicidade”, afirma Leandro. Segundo ele, sua técnica é simples. “Uso apenas uma faca e um tubo de caneta para trabalhar com a argila e procuro manter as peças em tons mais naturais, o mais próximo o possível da realidade”, diz. Para pintar as peças ele usa tinta, betume e verniz. “Eu colocava muitos detalhes, mas, aos poucos, fui encontrando uma forma melhor de trabalhar sem deixar as peças frágeis”, explica.

Fora de Ipameri, Leandro só havia participado até agora de uma mostra coletiva de artesanato em Caldas Novas. Esta é a primeira vez que ele expõe na capital do Estado. “Acho que vai ser muito bom pra mim, porque ainda sou pouco conhecido em Goiás”, diz. Leandro Carvalho quer fazer do artesanato a sua profissão. Atualmente, chega a produzir nas horas vagas, entre o trabalho e os estudos, cerca de 30 peças ao mês.