PRODUÇÃO

Goiás fomenta agricultura familiar com cerveja de mandioca

Até 19 municípios podem ser beneficiados por parceria entre Secretaria de Retomada, Seapa e Emater


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 22/09/2020 às 17:33:00

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A fim de fomentar a renda de agricultores familiares, o governo de Goiás, por meio da Secretaria da Retomada e em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e com a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), pode contemplar 19 municípios em um projeto da cerveja regional feita a partir da fécula de mandioca. Logo na primeira fase, existe a previsão de compra – pela Ambev – de 340 toneladas da raiz tuberosa.

Nesta primeira etapa, devem ser vendidos produtos de Cavalcante, Posse, Flores de Goiás e Buritinópolis. A produção da bebida será feita na fábrica da empresa, em Anápolis. O intuito é adquirir 750 toneladas do alimento até o final de 2020.

Os beneficiados, pequenos produtores do Nordeste do Estado, já estão cadastrados nas seguintes cidades: Cavalcante, Flores de Goiás, Posse, Buritinópolis, Alto Paraíso de Goiás, Teresina de Goiás e Simolândia.

Com isso, pelo menos 73 pequenos produtores rurais serão contemplados, de acordo com o relatório de cadastro desta terça-feira (22). Os já cadastrados são: Alto Paraíso (27 produtores); Buritinópolis (3 produtores); Cavalcante (17 produtores, sendo 13 kalungas); Flores de Goiás (7 produtores); Posse (11 produtores); Teresina de Goiás (7 produtores, todos kalungas); e Simolândia (1 produtor).

Nos próximos dias a Emater faz o levantamento da oferta de mandioca em propriedades de Alvorada do Norte, Campos Belos, Damianópolis, Divinópolis de Goiás, Guarani de Goiás, Iaciara, Mambaí, Monte Alegre de Goiás, Nova Roma, São Domingos, São João d’Aliança e Sítio d’Abadia.

Papel do Estado

Ao mencionar o papel do Estado, César Moura, secretário da Retomada, afirma que uma das principais missões é criar as conexões necessárias para levar desenvolvimento, emprego e renda à população que mais precisa da ajuda do Estado. O intuito é levar o avanço da economia, sem deixar de lado a questão social.

Segundo César, essa aquisição de mandioca de produtores familiares do Nordeste goiano, uma das mais vulneráveis e atingidas pela pandemia do novo coronavírus, cumpre o papel de garantir renda e desenvolver a economia local. Já o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, afirma que o governo busca apoiar e fomentar o desenvolvimento agropecuário em todo Estado, com foco onde há maior vulnerabilidade social.

“Seguindo a orientação do governador Ronaldo Caiado (DEM), temos conseguido atender os produtores que mais precisam de suporte neste momento. Nossa vocação agropecuária, aliada às políticas públicas de desenvolvimento regional, faz com que Goiás alcance resultados significativos, tanto em relação à demanda interna quanto externa”, declara.

“Com o sucesso do trabalho conjunto, a demanda deve ser aumentada e produtores de outros municípios goianos poderão ser cadastrados futuramente, ampliando a comercialização e a movimentação do comércio nesses locais”, acrescenta o titular da Seapa ao falar da parceria entre Estado e Ambev. O presidente da Emater, Pedro Leonardo de Paula Rezende, por sua vez, afirma que ao adquirir os produtos da agricultura familiar, a empresa auxilia na questão da comercialização, que costuma ser um problema.