EPIDEMIAS SIMULTÂNEAS

Goiás é um dos sete Estados com maior incidência de dengue

Apesar da situação, houve queda em quase todas as 14 semanas em relação ao mesmo período de 2019

vini testeCidades

Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 09/04/2020 às 18:15:12
Alexandre Bittencourt
Do Mais Goiás | Em: 09/04/2020 às 18:15:12

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Goiás é um dos sete estados do Brasil com mais de 300 casos de dengue a cada 100 mil habitantes, conforme levantamento divulgado na tarde desta quinta-feira (9) pela agência de notícias Folhapress. Os outros entes federativos são: Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, São Paulo, Acre, Paraná e Distrito Federal.

Entre as semanas 1 a 14, Goiás registrou 18.124 confirmados (33,786 notificados) – o Estado tem entre 6,5 mi e 7 mi habitantes. Apesar do índice, houve uma queda de 41% em relação a 2019, que teve no mesmo período 40.991 confirmações.

Comparando cada período, Goiás teve 892 confirmados, em 2020, contra 2.110, em 2019, na primeira semana; 1.575 contra 2.45, na segunda; 1.885 contra 2.507, na terceira; 2.280 contra 2.990 na quarta; 2.316 contra 3.358, na quinta; 2.952 contra 3.729, sexta; 3.068 contra 4.200, na sétima; 2.910 contra 4.226, na oitava; e 3.226 contra 3.748, na nona. Na décima semana, o único aumento no período, de 1%: 4.078 casos neste ano contra 4.019, no mesmo período do ano passado.

Já em março, a 11ª semana registrou 3.690 casos, em 2020, contra 4.955 em 2019. As diferenças se tornaram ainda maiores já em meio ao decreto de isolamento. Na 12ª semana, 2.364 (neste ano) contra 6.052; na 13ª, 1.678 contra 6.254; e na 14ª, 872 contra 6.785. Respectivamente, foram quedas de 61%, 73% e 87%, se comparados ao mesmo momento de 2019 nas últimas três semanas.

Cidades, pico, curva e óbito

O maior número de casos está em Goiânia, 5.541; seguido por Anápolis, 3.557; e Aparecida de Goiânia, 3.453. Outros locais com notificação são: Novo Gama, 2.153; Valparaíso de Goiás, 1.529; Águas Lindas de Goiás, 1.325; Luziânia, 1.240; Cidade Ocidental, 765; Goiatuba, 691; Morrinhos, 595; etc.

Em 2019, o pico ocorreu na 20ª semana. Naquele período, os contaminados chegaram a 7.956. Só a partir da 21ª os casos começaram a cair. Já neste ano, o pico se deu na décima semana, com 4.078 casos de dengue. Dão dez semanas de ganho na queda em relação ao ano passado.

Em relação aos óbitos, em números absolutos existe um valor alto em 2020: 24 (suspeitos). No ano passado foram 34 suspeitos e 89 confirmados.

Epidemias simultâneas

Em março, o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, alertou para os riscos de epidemias simultâneas ao novo coronavírus, que variam conforme a região. “Teremos neste ano o coronavírus, a influenza e também o pico da dengue”, disse. “Aproveitem que estão em casa e limpem o quintal, eliminem focos de dengue e vacinem-se conforme o calendário”, sugeriu naquele momento.

Vale destacar que o Paraná é quem mais sofre com a situação da dengue, conforme revela matéria da Folha de S.Paulo. O Estado soma 158 mil dos 484 mil casos registrados no país, que tem volume de 70% maior que o ano passado – diferente de Goiás, que teve uma redução de 41%, conforme boletim da Secretaria de Saúde (SES-GO).