DADOS DISPONÍVEIS

Goiás é o 3º em transparência sobre contratações emergenciais para combate à covid-19

No ranking das capitais, Goiânia ficou em 2º lugar. Boas posições contrastam com o baixo índice de isolamento social


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 21/05/2020 às 11:53:19

O Estado de Goiás ocupa o 3º lugar em transparência sobre contratações emergenciais para o combate à covid-19, segundo levantamento da Transparência Internacional/Brasil (Foto: Getty Images)
O Estado de Goiás ocupa o 3º lugar em transparência sobre contratações emergenciais para o combate à covid-19, segundo levantamento da Transparência Internacional/Brasil (Foto: Getty Images)

O Estado de Goiás ocupa o 3º lugar em transparência sobre contratações emergenciais para o combate à covid-19, segundo levantamento da Transparência Internacional/Brasil divulgado nesta quinta-feira (21). No ranking das capitais, Goiânia ficou em 2º lugar. A avaliação de ambos é de ótimo, com notas acima de 80. Resultado contrasta com a última colocação ocupada pelo Estado na lista nacional de respeito ao isolamento social, com índice de apenas 35,9%, de acordo com a empresa In Loco.

Os dados referentes ao ranking de transparência foram coletados nos sites oficiais e nas redes sociais dos governos entre os dias 12 e 19 de maio. A pesquisa apurou dados de 26 governos estaduais, do Distrito Federal e 26 capitais. O resultado do levantamento é uma pontuação de 0 a 100, em que os estados mais transparentes são aqueles que mais se aproximam da nota máxima.

Entre os Estados, Goiás está aparece na 3ª posição, com avaliação “ótima” e 84,8 pontos somados. Em 1º lugar do levantamento está Espírito Santo, com 97,4 pontos, seguido do Distrito Federal com 88,6 pontos. Em 4º lugar, encerrando os estados com avaliação tida como “ótima”, está o Paraná, com 81 pontos.

Outros nove Estados foram classificados como “bons”, com média de pontuação entre 73 e 60. Na sequência, há 12 unidades federativas consideradas “regulares”, com notas entre 52 e 41. Somente dois estados – São Paulo e Roraima – possuem classificação “ruim”. As notas são 27,8 e 22,1, respectivamente.

(Foto: reprodução)

Capitais

No ranking das capitais, Goiânia aparece na segunda posição, com 83,5 pontos, atrás somente de João Pessoa, que tem 88,6 pontos. Apenas as duas cidades foram classificadas como “ótimas”. Três capitais surgem na sequência avaliadas como “boas”. A pontuação ficou entre 65 e 60.

Avaliados como “regular”, 11 cidades possuem pontuação que gira em torno de 59 e 40 pontos. Outras nove capitais estão entre as “ruins”, com 39 e 21 pontos. Somente uma capital – Belém – atingiu o status de “péssima” em transparência, com apenas 18,9 pontos.

Plataformas

O Estado de Goiás disponibiliza o Portal da Transparência do Governo e o CoronaTransp para verificação dos gastos. Ambos são geridos pela Controladoria-Geral do Estado (CGE).

No CoronaTransp estão detalhadas as informações sobre a aquisições de bens e serviços e sobre os casos da doença no Estado. Nos painéis relativos às compras, que foram a base das avaliações da Transparência Internacional/Brasil, estão disponíveis dados abertos sobre a quantidade de itens, empresa vencedora, valor e órgão que fez a aquisição, além de um campo de busca com detalhes do objeto, descrição do item, órgão e nome do credor.

Também é possível tabular e demonstrar os ganhadores das licitações e os valores investidos na aquisição dos produtos ou serviços. Todos os dados são extraídos do sistema de compras governamentais, o ComprasNet.

Baixo isolamento

Na contramão da posição no ranking de transparência, Goiás amarga a última colocação no índice de isolamento social. Segundo a empresa In Loco, somente 35,9% da população goiana respeita o confinamento.

O índice, que já foi um dos maiores do Brasil, está em sinal de alerta. Após o primeiro decreto que restringiu atividade não essencial no Estado no dia 13 de março, a taxa de confinamento agora é a menor do país. Dados indicam que quase não há confinamento no Estado.