Goiás e ANTT discutem projeto de trem rápido Goiânia/Brasília

O trajeto a ser percorrido pelo trem contemplará ramificações nas cidades de Águas Lindas de Goiás e Santo Antônio do Descoberto, ambas no Entorno Sul do Distrito Federal.





//

O governador Marconi Perillo e o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) Jorge Bastos, discutiram o cronograma para implantação do trem de alta velocidade que ligará Goiânia a Brasília, envolvendo a realização do estudo de viabilidade e o projeto executivo, que devem ser iniciados no próximo ano.

Segundo o técnico-financeiro da Agência, Ronaldo Magalhães, está prevista para maio de 2015 a apresentação do resultado de viabilidade feito por uma empresa de consultoria. Na sequência, terá início a elaboração do projeto executivo, necessário para licitar a obra.

Em reunião realizada nesta quarta-feira (10/12), na sede da ANTT, em Brasília, Marconi Perillo conheceu os estudos de viabilidade técnica, econômica, socioambiental e jurídico-legal para o desenvolvimento estratégico do transporte ferroviário de passageiros e cargas.

O trajeto a ser percorrido pelo trem contemplará ramificações nas cidades de Águas Lindas de Goiás e Santo Antônio do Descoberto, ambas no Entorno Sul do Distrito Federal.

“A execução do projeto está sendo amadurecida há muito tempo. Assinamos o primeiro protocolo há dois anos e meio, juntamente com o Governo de Brasília, a ANTT, Sudeco e vários outros órgãos federais e estaduais. Agora nos dedicamos aos estudos necessários para a definição do trajeto, dos custos, ou seja, de tudo que envolve o projeto executivo. Isso tudo deve ficar pronto até o final de 2015 para que, em 2016, possamos dar início às obras”, analisa Marconi.

Segundo o diretor-geral, Jorge Bastos, a intenção é apresentar o projeto ao governo federal já contendo os dados conclusivos, a demanda e o custo total. De acordo com os primeiros estudos já concluídos, o trem de alta velocidade seguirá os mesmos parâmetros do projeto já elaborado para interligar o ramal Campinas/São Paulo e Rio de Janeiro. A velocidade máxima atingida será de 200 quilômetros por hora, o que deve levar uma hora e meia para a conclusão do trajeto, contando as paradas previstas.

Detalhes do projeto
O trem atenderá uma população estimada em 6,3 milhões de pessoas, com previsão de transportar 7,3 milhões de passageiros por ano. Ele se dividirá em dois tipos de transportes: o regional Goiânia/Brasília e o de integração Distrito Federal/Águas Lindas/Santo Antônio do Descoberto e Goiânia/Anápolis.