ATUALIZAÇÃO

Goiás bate recorde de casos de coronavírus em um dia

São 4.293 confirmações, no total, e 419 em 24 horas. Foram registrados 24 óbitos em um dia e o acumulado de óbitos é 151


Artur Dias
Do Mais Goiás | Em: 02/06/2020 às 17:36:15

(Foto: Pool/Reuters)
(Foto: Pool/Reuters)

O estado de Goiás chegou 419 casos de coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Esse foi o maior número de registros da doença desde o início do monitoramento. Com os números desta terça-feira (2), o total de casos chegou a 4.293.  Existem, ainda, 24.157 casos em investigação e outros 10.623 foram descartados. A pasta não informou o número de pessoas curadas pela doença.

De segunda-feira (1) para terça foram confirmados 24 óbitos causados pela Covid-19 no Estado e o número total de mortes agora é 151. Além disso, 33 falecimentos ainda são investigados, enquanto outros 241 foram descartadas. A taxa de letalidade da doença é de 3,51%.

Os dados da SES mostram que a Covid-19 já chegou em 138 cidades. Outras 88 possuem casos suspeitos. Foram registrados, ainda, óbitos em 45 municípios. Em outros nove existem mortes sendo investigadas.

Coronavírus e faixa etária

O painel eletrônico da Covid-19 feito pela secretaria mostra, também, que a doença tem atingido mais as pessoas entre 30 e 39 anos.  Nessa faixa etária foram registrados 25,72% dos casos confirmados. Em segundo lugar vem as pessoas com idade entre 40 e 49 anos, com 22,32%.

Por outro lado, as pessoas menos atingidas pelo coronavírus têm idade entre 10 a 14 anos, 1,18% das confirmações. Em segundo lugar vem a faixa de 15 a 19 anos, com 2,05%.

Com relação aos óbitos, as idades mais atingidas são as de 70 a 79 anos, com 42 mortes, o que representa 27,81% dos registros. Em seguida vem as pessoas que têm entre 60 e 69 anos, com 37 mortes (24,50%). As idades nas quais foram registrados menos óbitos são a de 20 a 29 anos (2 casos) e de 30 a 39 (6 casos).

Gênero

O coronavírus tem atingido homens e mulheres de forma equilibrada, com 51,2% dos casos confirmados no sexo feminino e 48,8% no sexo masculino. Nos óbitos, entretanto, a maioria dos registros são homens (60,9%).