Goiás Agora

Goiás alcança novo superávit na balança comercial em junho

O destaque entre os compradores dos produtos goianos, mais uma vez, foi a China, que adquiriu os seguintes itens: complexo soja, carnes, ferroligas, couros e derivados

Pelo 42º mês consecutivo, a balança comercial de Goiás manteve-se superavitária, com saldo de US$ 310,6 milhões, tendo exportado 294 produtos para 106 destinos, totalizando US$ 598 milhões em produtos exportados e US$ 287,3 milhões em importações. O destaque entre os compradores dos produtos goianos, mais uma vez, foi a China, que adquiriu os seguintes itens: complexo soja, carnes, ferroligas, couros e derivados, totalizando 38,43% dos produtos comercializados pelo Estado.

A Índia ocupou o segundo lugar no ranking dos países de destino, seguida por Holanda (Países Baixos). Os produtos goianos alcançaram maiores mercados também na Rússia, Estados Unidos, Irã, Hong Kong, Reino Unido, Tailândia e Coreia do Sul.

O complexo soja foi o produto mais exportado em junho, representando 50,56% do total e, em relação a junho de 2016, apresentou um crescimento de 3,22%. A exportação de carnes ocupou o segundo lugar no ranking dos produtos exportados, com 16,14% do total, com destaque para as carnes suínas, que tiveram um crescimento de 15,44% em relação ao ano anterior.

O secretário de Desenvolvimento, Francisco Pontes, destacou o crescimento das exportações de açúcar, que ocupou o terceiro lugar no ranking dos produtos, com participação de US$ 50,4 milhões, representando um aumento de 57% em relação ao mesmo período do ano passado. “Este é um reflexo das missões comerciais internacionais que temos empreendido”, avaliou. Segundo Ponte, o objetivo é diversificar os produtos exportados e os países destinos.

A previsão é a balança comercial de Goiás alcance um superávit de US$ 7 bilhões até o final do ano, segundo o superintendente Executivo de Comércio Exterior da SED, Bill O’Dwyer. “Neste primeiro semestre obtivemos nas exportações um acumulado de US$ 3,4 bilhões e o saldo comercial neste semestre já acumulou um superávit de quase US$ 2 bilhões, baseado nestes dados temos boas expectativas para o próximo semestre”, analisou O’Dwyer.

Importações

Francisco Pontes, titular da SED, também ressaltou crescimento das importações com relação ao primeiro semestre. “O crescimento de 23,95% das importações demonstra o aquecimento da nossa economia, o que é uma boa notícia para Goiás”, frisou. As importações no período de janeiro a junho deste ano totalizaram US$ 1,6 bilhões.

O total das importações de junho somou US$ 287,3 milhões em Goiás, resultando na aquisição de 1.310 produtos provenientes de 62 países. Produtos farmacêuticos novamente lideraram as importações no Estado, com US$ 83,4 milhões, totalizando 29% dos produtos adquiridos, ou 19,72% a mais que as importações desses produtos no mesmo período do ano anterior. Adubos e fertilizantes aparecem em segundo lugar no ranking de produtos importados, representando 22,95%, totalizando US$ 65,9 milhões.

Em terceiro lugar, destacaram-se os veículos e suas partes, que responderam por 11,18% das importações. Seguem, na sequência, reatores nucleares, caldeiras, máquinas e aparelhos mecânicos (9,94%); produtos químicos orgânicos com 6,43% e instrumentos e aparelhos de óptica com 3,26%, entre outros.

Ocupando lugar de destaque no ranking dos países de origem das importações, os Estados Unidos disponibilizaram US$ 46 milhões em produtos vendidos para Goiás, representando 16% do valor total. Seguem, ainda, Alemanha (14,26%), Coreia do Sul (13,13%), Rússia (7,04%), Japão (5,99%), Suíça (4,54%), Canadá (4,48%), China (4,08%), Índia (3,38%) e Argentina (2,67%).