Mundo

Goiano relata momentos de pânico durante o atentado na França

O estudante Wender Ribeiro contou ao Mais Goiás detalhes da noite de terror durante o ataque ontem em Nice




Com um saldo de mais de 80 mortos, o simbólico feriado do Dia da Tomada da Batilha, na França, terminou em clima de terror na noite desta quinta-feira (14/07). O estudante goiano Wender Ribeiro, de 19 anos, que mora em Paris há um ano, contou ao Mais Goiás que viajou até Nice para participar da festa que foi realizada em uma praia, local que acabou sendo o palco do atentado.

Wender disse que a praia tinha pontos de música em toda a sua extensão e estava repleta de jovens e famílias. Ele disse que, após cinco minutos do fim da festa, começou uma confusão no local. “No começo eu até pensei que fosse uma briga, mas depois eu escutei tiros. Trinta segundos depois já tinha um carro da polícia anunciando para a gente correr porque se tratava de um atentado. Esse momento ficou marcado, foi muito difícil. Todo mundo correndo, muita criança caindo. Tinha um carrossel que ainda estava girando com muitas crianças nele e as mães estavam desesperadas para tirá-las de lá. O pânico foi total nesse momento,” relatou o estudante.

O goiano, como a maioria dos presentes no local, correu para o Centro da cidade e lá ele encontrou centenas de pessoas desoladas. “Havia muito pânico ali”, disse.

Depois, Wender voltou a praia, já que seu hotel era próximo ao local do atentado, e encontrou ali um cenário de filme de terror. “Na parte que eu passei tinha uns 20 corpos e cinco eram de crianças. Foi bem triste, muito difícil mesmo. O que eu vi eu não vou esquecer jamais, vai ficar marcado. A gente assiste pela televisão quando acontece, como aquele outro atentado que teve em Paris, mas viver um atentado parece um filme de terror, é terrível.”

Na noite de ontem, após o atentado, Wender gravou um vídeo exclusivo para o Mais Goiás relatando os momentos de terror que ele presenciou.

.

Após o atentado, a maioria das praias – que são particulares – foram fechadas, assim como o comércio da rua principal da cidade, disse Wender, que já saiu da cidade. “Os hotéis estão em alerta e todos estão saindo da cidade. As pessoas ainda estão em pânico porque parece que ele tinha cúmplices que não foram pegos pela polícia.”

Ataque terrorista

Segundo atualização do Ministério do Interior francês, o número de pessoas mortas no ataque subiu para 84. Outras 18 pessoas ficaram gravemente feridas. O ministério também informou que há “várias crianças” entre as vítimas fatais do ataque.

Na quinta-feira (14/07), um motorista de caminhão atropelou uma multidão de pessoas que acompanhava os fogos de artifício em homenagem ao feriado nacional da França – o Dia da Tomada da Bastilha.

Segundo as testemunhas, o caminhão fazia ziguezagues sem parar ao longo de dois quilômetros na avenida marginal. O motorista também disparou contra as pessoas, tendo sido morto pela polícia momentos depois.

O presidente francês François Hollande classificou o atentado como um ataque terrorista.