Do Mais Goiás

Goiânia tem programação em homenagem ao Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha

Ativista do movimento negro considera o Dia como uma data fundamental, de luta e enfrentamento ao sexismo e ao racismo

Desde domingo, a Prefeitura de Goiânia realiza programação especial em homenagem ao Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. (Foto: Tania Rego/Agência Brasil)
Desde domingo, a Prefeitura de Goiânia realiza programação especial em homenagem ao Dia da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. (Foto: Tania Rego/Agência Brasil)

Desde o último domingo (18), a Prefeitura de Goiânia realiza programação especial em homenagem ao Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, celebrado no próximo domingo (25). Nomeado de ‘Julho das Pretas’, o evento conta com exposição, feira, bem como discussão acerca do Plano Municipal de Igualdade Racial. O evento ocorre até o dia 3 de agosto.

De acordo com a prefeitura, a celebração contará com homenagens a goianienses que possuem grande contribuição para a formação da identidade étnica e racial do município. Na quinta-feira (22), será realizada a abertura oficial da semana pelo Dia Internacional da Mulher Latino-Americana e Caribenha.

A previsão é de que seja divulgada uma pesquisa sobre a população negra em Goiânia; entrega de certificados de honra ao mérito; apresentação cultural com as ‘Sambadeiras de Bimba’, bem como o lançamento de exposição itinerante de valorização às mulheres pretas da capital.

Na sexta-feira (23), deve ser feita uma conferência virtual para revisão e discussão do Plano Municipal de Igualdade Racial. A chamada Feira das Pretas ocorre no final de semana. No dia 28 de julho haverá um seminário sobre a data, lutas e momento atual diante da pandemia. A programação será encerrada no dia 3 de agosto, com audiência pública para referendação do Plano Municipal de Igualdade Racial e Chamamento da Conferência Municipal de Igualdade Racial.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Prefeitura de Goiânia (@prefeituradegoiania)

Data de luta

Ao Mais Goiás, a professora e ativista do Movimento Negro, Janira Sodré, afirmou que o Dia da Mulher Negra Latino-Aamericana e Caribenha é uma data fundamental, de luta e enfrentamento ao sexismo e ao racismo. Segundo ela, a data sempre foi celebrada pela comunidade negra e agora há uma “amplificação das vozes, dos atores sociais, dos sujeitos políticos, e também pela absorção pelo gestor público, no âmbito da igualdade racial”.

Janira destaca que é a primeira vez que a data é celebrada no âmbito público de Goiânia. “É uma data chave, uma data de anúncio de movimentação da gestão no sentido da transversalização das políticas de promoção da igualdade racial e da formação do sistema de igualdade racial do nosso município. Isso é extremamente positivo”, comentou.

Ainda de acordo com ela, a representatividade, quando acompanhada de políticas de reparação de danos ocasionados pelo racismo, é importante e significativa. “Com a representatividade acompanhada de uma política de gestão pública adequada, política de promoção de igualdade racial, com esse recorte na centralidade do desenvolvimento social das mulheres negras, dá para pensar no papel propulsor que o Estado tem enquanto ator do desenvolvimento social da comunidade”.