R$ 600

Goiânia possui 257 mil aptos a receber auxílio emergencial

Número corresponde a 17,91% da população goianiense. No estado são 1,43 milhão


Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás | Em: 18/05/2020 às 12:36:41

Veja quais procedimentos o cidadão deve seguir para contestar pedidos negados ou retificar informações do auxílio emergencial. 
Veja quais procedimentos o cidadão deve seguir para contestar pedidos negados ou retificar informações do auxílio emergencial. 

A cidade de Goiânia possui 257 mil pessoas aptas a receber o auxílio emergencial do Governo Federal. O número equivale a 17,91% da população goianiense e a capital é o município do Estado com maior percentual e número total de habitantes habilitados a receber os R$ 600A segunda parcela deve começar a ser liberada a partir desta segunda-feira (18).

Aparecida de Goiânia é a segunda cidade com maior percentual de aptos a recebimento do auxílio emergencial. São mais de 91 mil pessoas, o equivalente a 6,38% dos habitantes. O município é seguido por Anápolis, que têm 74,9 mil habitantes aprovadas (5,22%) a receber os R$ 600 do Governo Federal; e Águas Lindas, no Entorno do Distrito Federal, com 50.975 pessoas elegíveis, 3,55% da população.

Em todo o estado de Goiás, quase 1,5 milhão de goianos podem receber o auxílio. Os dados são da Secretaria de Desenvolvimento Social de Goiás (Seds). 

Retrato

De acordo com o superintendente do trabalho, emprego e renda da Seds, Gilberto Silvério Carvalho, os dados são uma fotografia da população até pelo menos o mês de março. Quando se olha os números de pessoas em situação de extrema pobreza, pobreza, beneficiários do Bolsa Família, e trabalhadores informais há certa precisão.

No entanto, Gilberto Silvério salienta que a cada quinzena o número de pessoas que podem solicitar o auxílio emergencial do Governo Federal pode aumentar. “Os impactos da crise econômica gerada pela pandemia do coronavírus ainda não foram sentidos totalmente.  A taxa de informalidade mais desemprego podem ter impactos para o número de pessoas que estão pedindo os R$ 600” nas próximas semanas”, aponta.

Liberação

A primeira parcela foi paga em abril e a segunda deve começar a ser paga a partir desta segunda-feira (18) e seguirá até 13 de junho. Pagamentos serão feitos apenas para quem recebeu a primeira parcela até 30 de abril. O auxílio foi criado para atender trabalhadores que sentem os efeitos da crise causada pela pandemia de Covid-19.

Confira os três calendários:

1 – Para recebimento em poupança social

Nestas datas, os recursos estarão na conta, mas não poderão ser sacados em dinheiro, nem transferidos:

  • 20 de maio – nascidos em janeiro e fevereiro;
  • 21 de maio – nascidos em março e abril;
  • 22 de maio – nascidos em maio e junho;
  • 23 de maio – nascidos em julho e agosto;
  • 25 de maio – nascidos em setembro e outubro;
  • 26 de maio – nascidos em novembro e dezembro

2 – Para saque em dinheiro

Os recursos estarão disponíveis para saques e transferências bancárias em:

  • 30 de maio – nascidos em janeiro;
  • 1º de junho – nascidos em fevereiro;
  • 2 de junho – nascidos em março;
  • 3 de junho – nascidos em abril;
  • 4 de junho – nascidos em maio;
  • 5 de junho – nascidos em junho; 
  • 6 de junho – nascidos em julho; 
  • 8 de junho – nascidos em agosto; 
  • 9 de junho – nascidos em setembro; 
  • 10 de junho – nascidos em outubro; 
  • 12 de junho – nascidos em novembro; 
  • 13 de junho – nascidos em dezembro

3 – Para beneficiários do Bolsa Família

Os saques em dinheiro ocorrerão conforme o último número do NIS, sendo:

  • NIS 1 – 18 de maio; 
  • NIS 2 – 19 de maio; 
  • NIS 3 – 20 de maio; 
  • NIS 4 – 21 de maio; 
  • NIS 5 – 22 de maio; 
  • NIS 6 – 25 de maio; 
  • NIS 7 – 26 de maio; 
  • NIS 8 – 27 de maio;
  • NIS 9 – 28 de maio; 
  • NIS 0 – 29 de maio