Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás

Goiânia e Aparecida se mobilizam para comprar vacinas após decisão do STF

Busca direta pelas doses se tornou realidade depois que o STF formou maioria para liberação dos imunizantes

Avião com 2 milhões de doses da vacina AstraZeneca chega ao Brasil
Fiocruz recebe insumos para produzir mais 12 milhões de doses da vacina (Foto: Divulgação / Oxford)

As prefeituras de Goiânia e Aparecida de Goiânia buscam negociar junto aos laboratórios a compra de lotes de vacina contra a covid-19. Ambos os municípios têm conversas já iniciadas com as farmacêuticas e pretendem “cortar caminho” na aquisição dos imunizantes, após a liberação do Supremo Tribunal Federal (STF) para a compra direta.

Decisão publicada na terça-feira (23) pela suprema corte permite que estados e municípios possam comprar os imunizantes caso o governo federal não cumpra o plano nacional de vacinação contra a Covid-19. O tribunal também liberou o uso de imunizantes autorizados por determinadas agências reguladoras estrangeiras, se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não deliberar sobre o tema em 72 horas.

Goiânia

Em reunião marcada para a manhã desta quinta-feira (25), o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) deve ouvir a equipe técnica da prefeitura. Um encontro será realizado nesta semana com representantes de laboratórios para tratar da possibilidade de aquisição dos imunizantes para a população da capital.

Até o momento, a prefeitura de Goiânia aplicou 77.670 doses de vacinas contra a covid-19 em profissionais da saúde e idosos de grupos específicos. Ao todo, o município recebeu 99.375 doses  desde janeiro.

Aparecida

Do mesmo modo, o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (MDB), se reúne com a equipe para tratar a questão da aquisição direta dos imunizantes. O município já tem tratativas desde 2020 com laboratórios AstraZeneca, Pfizer e Moderna. A intenção é aquisição de pelo menos 220 mil doses.

Aparecida aplicou 19.384, das quais 15.174 da primeira dose e 4.210 da segunda.