RESULTADO EM 24H

Goiânia começa a fazer 50 testes rápidos por dia para coronavírus

Inicialmente, serão 50 testes diários. Lacen hoje demora sete dias para disponibilizar resultado


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 23/04/2020 às 15:08:50

Uma testagem em massa em cerca de seis indústrias detectou mais de 600 pessoas infectadas pelo novo coronavírus em Rio Verde. (Foto: Reprodução)
Uma testagem em massa em cerca de seis indústrias detectou mais de 600 pessoas infectadas pelo novo coronavírus em Rio Verde. (Foto: Reprodução)

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia anunciou, na manhã desta quinta-feira (23), a contratação do Laboratório de Transplantes de Goiás (HLAGyn) para realizar testes contra o novo coronavírus com resultado em até 24 horas. De acordo com o pasta, serão 50 exames pelas técnicas RT-PCR por dia feitos em pacientes não internados a profissionais da Saúde sintomáticos.

Atualmente, o Laboratório Estadual de Saúde Pública de Goiás (Lacen-GO) demora até sete dias para liberação de resultados. Outro ponto comparativo da eficácia do novo teste é que, com a “altíssima precisão”, ele se torna mais confiável que os testes rápidos. A secretária Fátima Mrué ressalta que a contratação traz mais agilidade de encaminhamento de pacientes com suspeita de Covid-19 e aumenta o público que pode ser submetido ao exame.

“A partir de hoje, além dos 10, 15 testes que são realizados pelo Lacen diariamente, vamos contar com mais esses 50 que podem ser aumentados de acordo com a demanda. Com esse aumento o município de Goiânia vai poder testar também pacientes que não estejam graves, profissionais de saúde e pessoas que tenham tido contato com casos confirmados, desde que apresentem sintomas da doença, isso vai nos dar um conhecimento maior sobre o avanço da Covid-19 na cidade” explica.

A secretária ainda explica que o PCR permite detectar o coronavírus em tempo real e com maior precisão desde os primeiros dias dos sintomas graves. Para a realização do exame, é necessário amostras de secreções do nariz e garganta do paciente. Essa coleta é feita por uma haste flexível – conhecida como swab. Com isso, é possível detectar o genoma do novo coronavírus, mas a realização do teste deve acontecer apenas com pedido médico.

Fátima destaca que, além de aumentar o número de PCR, a secretaria vai confeccionar um inquérito epidemiológico que apontará como está a disseminação da doença em Goiânia. Diante isso, mais 35 mil testes rápidos estão sendo adquiridos e serão aplicados em pessoas que estejam ou não apresentando sintomas da Covid-19. O trabalho será realizado por etapas nos sete distritos sanitários da capital.

“O inquérito será de suma importância para que possamos ver como o vírus está se comportando e adotar medidas mais seguras e direcionada para cada região”, destaca a secretária.