CORONAVÍRUS

Goiana que vive na Espanha relata preocupação com a mãe: “trabalha com pessoas que têm sintomas”

Brenda Cristyna, de 18 anos, mora na Espanha desde 2016 com a mãe, a empregada diarista Djahny Crispim, de 38 anos


Laylla Alves
Do Mais Goiás | Em: 25/03/2020 às 20:30:43

(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

A goiana Brenda Cristyna, de 18 anos, mora na Espanha desde 2016 com a mãe, a empregada diarista Djahny Crispim, de 38 anos. Por conta da natureza da sua profissão, a mãe de Brenda não pôde parar de trabalhar durante o período de quarentena – mesmo depois de descobrir que um de seus patrões estava com sintomas de coronavírus. Saber que a mãe está exposta ao risco de contaminação preocupa Brenda. “Ela é a única pessoa que eu tenho aqui, e não trabalha em um lugar só, são sete casas diferentes, e longe uma da outra” diz.

Brenda é babá e foi dispensada até o fim da quarentena. Ou seja: até a pandemia esteja sob controle, a goiana vai ficar sem receber, porque não trabalhar. É por este motivo que Djahny, de 38 anos, continua a se expor no serviço todo dia. Sem o salário dela, não haveria comida para as duas em casa.

A babá relata que, por causa da quarentena, muitas pessoas que ela conhece perderam o emprego. Na Espanha, o poder público decretou restrições ao trânsito de pessoas no dia 4 de março, quando houve o fechamento das escolas e durariam 15 dias. Na última sexta-feira (13), começaram a valer novas regras de quarentena, ainda mais duras que as anteriores, e com prazo de vigência indeterminado.

Brenda e Djahny estão apreensivas para saber o resultado do teste de coronavírus do patrão da diarista que está sintomático. Não havia novas informações sobre o assunto até a publicação desta matéria.

A jovem classifica como “estranha” a sensação de pisar fora de casa e não ver quase ninguém: “chega dá um aperto no peito”. Ela também se sente triste por não ter o resto da família por perto. “Eu tenho medo de que algo aconteça comigo aqui pois eu não vou poder me despedir”.

A goiana afirma que não voltaria ao Brasil neste momento, ainda que a Espanha seja o segundo país com mais casos da doença na Europa. “Aqui a saúde é boa demais eu não trocaria os privilégios daqui pra voltar pro meu país, não”.

Namorada

A babá conta ao Mais Goiás que mata o tempo com a namorada e os amigos em lives no instagram, chamadas de vídeo e grupos no Whatsapp. “Todos estão obedecendo e evitando ao máximo fazer coisas contra as regras que nos indicaram” afirma.

Quarentena na Espanha

Brenda diz que todos os estabelecimentos comerciais do país estão fechados, exceto supermercados, farmácias e tabacarias. Ela relata que os supermercados estão super abastecidos e a situação está estável e relativamente tranquila.

De acordo com a jovem, a polícia faz ronda o dia inteiro. Recentemente, forças militares começaram a vigiar o perímetro urbano e a fronteira do país foi fechada.

*Laylla Alves é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira