Seleção Brasileira

Gilmar não descarta retorno de Hulk e Maicon à seleção

Jogadores são preteridos na segunda lista do treinador, divulgada nesta quarta-feira, para o Superclássico das Américas, contra a Argentina, e para o amistoso com o Japão, ambos na Ásia




O lateral-direito Maicon e o atacante Hulk fizeram parte da primeira convocação do técnico Dunga em seu retorno à seleção brasileira, no mês passado. Mas foram preteridos na segunda lista do treinador, divulgada nesta quarta-feira, para o Superclássico das Américas, contra a Argentina, e para o amistoso com o Japão, ambos na Ásia.

Maicon ficou de fora porque fora dispensado por indisciplina no intervalo entre os dois primeiros amistosos da nova Era Dunga. Ele vestiu a camisa da seleção no jogo com a Colômbia, mas já havia sido desligado do grupo na partida o Equador. Hulk nem se apresentara para os confrontos. Alegou problema físico, mas não convenceu a comissão técnica brasileira e não foi chamado novamente.

Apesar da ausência na nova lista, a dupla não foi descartada por Dunga para futuras convocações, de acordo com Gilmar Rinaldi, coordenador de seleções da CBF. “Na seleção tudo é muito dinâmico. Muita gente quer essa oportunidade, quer retornar, e é o tempo que vai dar a oportunidade. Não vamos forçar nada. O Hulk vai ter oportunidade de retornar no futuro”, garantiu o dirigente, em entrevista ao Sportv.

Gilmar, contudo, deixou claro que a comissão técnica não digeriu bem sua ausência nos primeiros amistosos – o atacante do Zenit, da Rússia, foi descartado por conta de lesão. “Recebemos uma ligação do clube falando sobre a lesão. Respeitamos a decisão, mas a medicina evoluiu. Sabemos que alguns problemas podem ser recuperados de uma forma mais rápida. E existem outros jogadores querendo jogar na seleção”, declarou.

A mesma postura da CBF valerá para o lateral Maicon, dispensado da primeira lista por ter se apresentado com muito atraso depois de um dia de folga. “Sem dúvida o nome dele poderá ser repensado. Não tem como falar que não serve mais, que não presta. Ele cometeu um erro e cortamos. E agora a vida segue. Se um dia tiver uma cadeira vazia, vamos pensar nele, sim.”

O recado vale também para o lateral Mário Fernandes, substituto de Maicon. O ex-jogador do Grêmio surpreendeu a seleção brasileira de Mano Menezes ao pedir dispensa de sua primeira convocação, ainda em 2011. Na época, disse que precisava estar “focado no Grêmio”. Curiosamente, o Brasil também enfrentaria a Argentina para o Superclássico das Américas, como acontece agora.

Desanimado com a seleção, Fernandes avisara que tentaria obter a nacionalidade russa, onde joga há três anos pelo CSKA Moscou, para defender a seleção daquele país. Agora terá nova oportunidade de jogar pelo Brasil. “Vamos avaliá-lo no futuro. Estamos lidando com homens e não com meninos”, ressaltou Gilmar. “Cada um tem sua oportunidade e responsabilidade. Os atos dele vão definir o seu futuro na seleção”, afirmou.