Do Mais Goiás

Geração de empregos em Aparecida é 40% maior do que índice do 1° semestre de 2020

Nos seis primeiros meses deste ano, Aparecida registrou 30.637 admissões. No mesmo período de 2020, foram 21.762 carteiras assinadas

Aparecida conseguiu reverter o deficit, com a criação de 5.893 novos empregos formais no primeiro semestre deste ano (Enio Medeiros - SecomAparecida)
Aparecida conseguiu reverter o deficit, com a criação de 5.893 novos empregos formais no primeiro semestre deste ano (Enio Medeiros - SecomAparecida)

Número de empregos formais criados em Aparecida no primeiro semestre de 2021 é 40% maior do que o quantitativo do mesmo período de 2020, quando a pandemia da Covid-19 teve início. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Nos seis primeiros meses deste ano, Aparecida registrou 30.637 admissões. No mesmo período de 2020, foram 21.762 carteiras assinadas. Ainda segundo os dados do Caged, o município teve 1.939 vagas fechadas de janeiro a junho de 2020, em virtude da pandemia de Covid-19.

Criação de empregos em meio à pandemia

No entanto, o balanço deste semestre mostra que Aparecida conseguiu reverter o deficit, com a criação de 5.893 novos empregos formais no primeiro semestre deste ano. A prefeitura de Aparecida atribui essa recuperação na criação de novos postos de trabalho à forma como o município enfrentou a pandemia de Covid-19, por meio do escalonamento intermitente.

Desde o mês de março de2021, quando a segunda rodada do escalonamento intermitente foi adotada, o número de contratações teve um aumento progressivo até o mês de junho. Em todos os meses do primeiro semestre de 2021, o quantitativo de vagas de empregos formais criados superou as demissões no município.

Abril e maio de 2021 tiveram um saldo positivo igual, de 887 empregos criados. Já em junho deste ano, o saldo positivo de admissões foi de 1.093. Em julho, no entanto, o saldo caiu para 758. Em abril e maio de 2020, o saldo entre admissões e demissões foi negativo. Ou seja, mais pessoas foram demitidas do que contratadas neste período. O saldo negativo ficou em -2 e -2.169, respectivamente.

Para secretário, reformas contribuíram para geração de empregos

O secretário da Fazenda de Aparecida, André Luis Rosa, também atribui a geração de empregos na cidade a algumas medidas adotadas pelo município para tentar desburocratizar a relação das empresas com o Poder Público.

“Nos últimos anos, nós reformulamos o Código Tributário, diminuímos o valor de taxas, regulamentamos o Plano Diretor e aprovamos o novo código de edificações”, elencou André. Para ele, as medidas acabam refletindo no setor produtivo, estimulando novos investimentos e criação de empresas, que aumenta a geração de empregos formais.