Polêmica

George Takei reage à declaração racista de porta-voz de Trump

Carl Higbie disse que os campos para japoneses durante a Segunda Guerra servem de exemplo para o registro de muçulmanos




O ator e ativista George Takei ficou indignado com declarações feitas por Carl Higbie, ex-fuzileiro, escritor e porta-voz do programa de governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump. Segundo o THR, Carl disse que os campos de internamento de japoneses durante a Segunda Guerra Mundial servem de exemplo para o registro de muçulmanos no país.

 

Durante aquele confronto, o governo dos EUA criou campos de concentração para japoneses e seus descendentes que residiam nos EUA. A medida foi considerada racista, desumana e não muito diferente de um campo de trabalho forçado para prisioneiros de guerra. O ranço histórico foi tão grande que o Congresso dos EUA pediu desculpas formais em 1988.

 

Segundo o site, Takei, conhecido por seu papel como Sulu em Star Trek, disse: “A internação de americo-japoneses foi uma grosseira violação dos nossos direitos nacionais e princípios, um evento terrível pelo qual o Congresso se desculpou. Invocar este capítulo negro como precedente para ação contra quaisquer minorias é moralmente falido e um passo perigoso, completamente fora das noções modernas de direitos humanos e civis”.

 

Entre as propostas de Trump estão o registro e monitoramento de todos os muçulmanos no país, americanos ou estrangeiros, assim como a deportação de milhões de imigrantes de diversas nacionalidades e a construção de um muro na fronteira com o México.

 

Takei completou: “A História não pode se repetir. Precisamos ser atentos, vigilantes quanto aos erros do passado. Os planos de registro para muçulmanos provam que Trump não aprendeu a lição com os campos de internamento, nem sobre o medo e o racismo que levaram a tal decisão”.