Cirurgia

Gêmeas siamesas passam por cirurgia de separação nesse sábado

Procedimento será feito em caráter de urgência porque houve piora no estado de saúde dos bebês





//

As gêmeas siamesas que nasceram no Hospital Materno Infantil (HMI), no dia 10 de dezembro, devem passar por cirurgia de separação nesse sábado (3/1). É o que informa o último boletim médico divulgado pela unidade de saúde.

De acordo com o hospital, a cirurgia será realizada em caráter de urgência porque houve piora no quadro clínico das siamesas. O hospital afirma que elas apresentam falência cardiorespiratória devido à má formação destes órgãos.

Não há previsão de duração para o procedimento, que envolverá ao todo 12 profissionais, entre cirurgiões pediátricos, médicos intensivistas, anestesistas, cardiologista, nefropediatra e enfermeiros. A equipe é comandada pelo cirurgião pediátrico Zacharias Calil.

Leia a íntegra do boletim médico:

“O Hospital Materno Infantil (HMI) informa que está marcada para amanhã, 03 de janeiro de 2015 (sábado), às 7h, a cirurgia de separação das gêmeas siamesas nascidas na unidade no dia 10 de dezembro de 2014.

Segundo o cirurgião pediátrico Zacharias Calil, houve uma piora no quadro clínico das siamesas, que apresentam falência cardiorespiratória devido à má formação destes órgãos.

Por conta disso, a equipe médica decidiu pela realização da cirurgia de separação em caráter de urgência. Não há previsão de duração para o procedimento, que envolverá ao todo 12 profissionais, entre cirurgiões pediátricos, médicos intensivistas, anestesistas, cardiologista, nefropediatra e enfermeiros.

A unidade informa ainda que o estado de saúde das meninas é gravíssimo. Elas continuam internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e respiram com a ajuda de aparelhos. As crianças nasceram no dia 10 de dezembro, com 37 semanas, e são unidas pelo tórax e abdômen, compartilhando o fígado.

A.B. possui 2,3 kg e 45 cm, e A.G. está com 1,5 kg e 36 cm. Em 1999, foi realizada no HMI a primeira cirurgia de separação de gêmeos siameses da região Centro-Oeste.

O fato ganhou repercussão nacional e, desde então, outros 27 casos vindos de vários estados brasileiros foram acompanhados pela equipe médica da unidade, sendo que destes, 10 chegaram a ser operados.”