Gêmeas siamesas

Gêmeas baianas serão separadas nesta quarta-feira

Cerca de 15 profissionais estarão envolvidos no procedimento cirúrgico que deve durar aproximadamente cinco horas.





//

A cirurgia de separação das gêmeas siamesas Maria Clara e Maria Eduarda Oliveira Santana, de quatro meses, será realizada a partir das 7 horas desta quarta-feira, dia 9, no Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia.

As bebês, que são unidas pelo abdômen e compartilham apenas o fígado, chegaram em Goiânia no dia 13 de julho último, acompanhadas pelos pais Denise Borges Oliveira e Caíque Santana Barros dos Santos, para serem monitoradas pela equipe multiprofissional do HMI, liderada pelo cirurgião pediátrico Zacharias Calil.

Cerca de 15 profissionais, entre cirurgiões pediátricos, anestesistas, ortopedistas, médicos intensivistas, cirurgiões plásticos, cirurgiões vasculares, pediatras, enfermeiros, cardiologista, entre outros, estarão envolvidos no procedimento cirúrgico que deve durar aproximadamente cinco horas.

O caso das gêmeas Maria Clara e Maria Eduarda é considerado mais simples se comparado com a cirurgia de Arthur e Heitor, realizada em fevereiro deste ano, mas não deixa de ser de alta complexidade. “Mesmo compartilhando apenas o fígado, sabemos que a cirurgia é complicada. Mas entreguei nas mãos de Deus e tenho fé que tudo irá sair como o planejado, para que logo possamos voltar a Salvador e matar a saudade da família inteira”, declara Denise, emocionada. Já Caíque, o pai, se diz confiante no resultado da cirurgia. “O HMI tem toda a infraestrutura necessária para a cirurgia, além de contar com uma equipe muito experiente para auxiliar nessa importante etapa da vida das meninas”, destaca.

HISTÓRICO

(Foto: Mateus André)As gêmeas, de Salvador (BA), foram internadas pela primeira vez no HMI no dia 10 de agosto deste ano para a cirurgia de separação. Porém, por sugestão do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), todos os procedimentos cirúrgicos a serem realizados no HMI, que necessitassem de pós-operatório na UTI Pediátrica, foram suspensos na época por medidas de segurança. No dia 24 de agosto, elas foram hospitalizadas novamente no HMI para tratar uma infecção urinária na Maria Clara e, desde então, aguardavam a liberação de leitos de UTI Pediátrica, para definir a data da cirurgia de separação.

REFERÊNCIA

Esta será a 14ª separação de gêmeos siameses a ser realizada no HMI. O primeiro caso registrado foi em 1999: das gêmeas Larissa e Lorrayne, que eram unidas pelo abdômen e pela pelve e compartilhavam rins, estômago, bexiga, intestino grosso, uretra, vagina e ânus. O HMI é a única unidade hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS) apto a realizar a separação de gêmeos siameses. Referência em casos de média e alta complexidades, o hospital já registrou 30 casos de siameses, tornando-se destaque mundial pela  Discovery Channel, que acompanhou o caso de Arthur e Heitor.

AJUDA

O HMI e o Hemocentro de Goiás (Hemogo) pedem que a população doe sangue B positivo para as meninas, uma vez que é esperado que as gêmeas consumam um litro de sangue na cirurgia de separação, além do que poderão precisar no período de recuperação. Outros tipos sanguíneos também são bem-vindos. As doações podem ser feitas no Hemocentro,  na Avenida Anhanguera, n°5.195, Setor Campinas, sempre das 8 às 17 horas, em nome de Maria Clara e Maria Eduarda.