FolhaPress

Garçonete denuncia ter sido alvo de racismo após cliente discordar de conta em bar, em Anápolis

Além das ofensas, ainda foi ameaçada com uma arma de fogo pelo pai da mulher

Garçonete denuncia ter sido alvo de racismo após cliente discordar de conta em bar, em Anápolis Uma garçonete, que trabalha em um bar em Anápolis, a 55 km de Goiânia, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil após ter sofrido ataques raciais
Garçonete denuncia ter sido alvo de racismo após cliente discordar de conta em bar, em Anápolis (Foto: TV Anhanguera/G1)

Uma garçonete, que trabalha em um bar em Anápolis, a 55 km de Goiânia, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil após ter sofrido ataques raciais por uma cliente insatisfeita com a conta do bar. Kássia Morgana Rodrigues, de 26 anos, disse à TV Anhanguera que, além das ofensas, ainda foi ameaçada com uma arma de fogo pelo pai da mulher. O caso ocorreu na quinta-feira (3).

“Ela falou: ‘Você tem que desamarrar esse coque horrível, você é negra. Você tem que desamarrar esse cabelo velho e feio. Você não merece estar aqui, não merece esse serviço, amanhã eu vou mandá-lo [patrão] te demitir'”, afirmou Kássia.

A cliente foi orientada a sair do restaurante, mas um tempo depois o pai da mulher retornou ao local cobrando satisfações. De acordo com testemunhas, ele teria levantado a camisa e mostrado uma arma.

“O pai dela me ameaçou. Eu quero uma medida protetiva contra ele. Eu não o conheço, não sei quem é”, alegou a profissional que trabalha há dois no local.

Kássia registrou o caso e deve ser ouvida na Delegacia de Anápolis. Os outros envolvidos ainda serão intimados para depor.

Racismo x injúria racial

A Lei de Racismo, de 1989, engloba “os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. O crime ocorre quando há uma discriminação generalizada contra um coletivo de pessoas. Exemplo disso seria impedir um grupo de acessar um local em decorrência da sua raça, etnia ou religião.

O autor de crime de racismo pode ter uma punição de 1 a 5 anos de prisão. Trata-se de crime inafiançável e não prescreve. Ou seja: no caso de quem está sendo julgado, não é possível pagar fiança; para a vítima, não há prazo para denunciar.

Já a injúria racial consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem a fim de atacar a dignidade de alguém de forma individual. Um exemplo de injúria racial é xingar um negro de forma pejorativa utilizando uma palavra relacionada à raça.

Inquilina é xingada de ‘preta safada’ e ‘macaca’ por dono do imóvel em Anápolis;leia.