Tecnologia

Gado e Cia: aplicativo facilita a negociação entre pecuaristas

Com foco em fechar negócios, o programa, desenvolvido em Goiás, remove a necessidade de intermediários


Jose Abrão

Do Mais Goiás | Em: 01/03/2018 às 18:10:00


Da esquerda pra direita: Maurílio, João Guilherme e Ydaiano
Da esquerda pra direita: Maurílio, João Guilherme e Ydaiano

Negociar cabeças de gado, especialmente para produtores menores, pode ser uma verdadeira dor de cabeça. Você pode não encontrar compradores ou não conseguir comprar o animal que você procura. Às vezes pode até achar um lote, mas longe demais; às vezes pode ter um lote na mesma cidade, mas você não sabe. Por causa disso, muitos pecuaristas acabam recorrendo à corretores e intermediários que saem a cata de negociações. Mas mesmo assim, todo o negócio acaba sendo muito informal e mesmo arriscado, já que tudo acaba sendo acordado oralmente.

É aí que entra o Gado e Cia, aplicativo de compra e venda desenvolvido em Goiânia e que faz parte do programa de aceleração do Ace Gyntec. A proposta do programa é eliminar os corretores e ir direto ao ponto, colocando pecuaristas para negociar com pecuaristas. “Essa compra e venda é a grande dificuldade porque normalmente o pecuarista médio e pequeno não vive daquilo. São médicos, engenheiros, empresários que também investem em gado. Ele não tem uma rede muito grande de contatos para ofertar o gado dele, então ele oferta pro vizinho, para um amigo, em um leque pequeno”, explica um dos sócios, João Guilherme Soares. “E quando ele não acha para vender, complica. Não é como pegar algo na prateleira. Quem está comprando geralmente está procurando animais específicos: ele quer naquela raça, naquele peso, naquela idade, tem muita variável na história”.

O aplicativo foi idealizado por outro sócio, Ydaiano Abdalla, que atuou por muito tempo como corretor de gado e que percebeu toda essa dificuldade da negociação informal. “Era muito limitado. Os pecuaristas são muito sistemáticos e muitos não confiavam nos corretores. Tinha que ter confiança e não havia segurança. O pessoal hesitava de passar dados, de passar nome pro intermediário”, destaca. Como os valores são sempre muito grandes, a desconfiança acabava perpassando quase todo o negócio.

“É super informal e tão sem nenhuma sofisticação que o cara vai no pasto e vê o animal, ele gostou, ele já marca o animal e faz uma transferência na hora. Caiu na hora, já carrega. E não são transações pequenas, mas é uma troca muito na confiança, tudo oral: me paga, pega o produto e vai embora”, conta Soares.

Com o aplicativo, os sócios removeram esse corretor e facilitaram a comunicação e alcance entre os pecuaristas que, até então, ficavam muito limitados, geralmente negociando apenas na sua região: “As áreas de fazenda são muito grandes, então geralmente o pecuarista acabava conhecendo só os vizinhos”, disse Abdalla. Aos dois se juntou o terceiro sócio, especializado na parte tecnológica, Maurílio Campos. Juntos, os três desenvolveram a atual versão do aplicativo que está crescendo cerca de 20% ao mês. “Hoje nós temos cerca de 14 mil usuários e no mês passado crescemos em mais de 2.300 usuários”, disse Soares.

Aí está a grande força do Gado e Cia: a credibilidade. “Para fazer o seu cadastro nós tiramos fotos, fazemos vídeos dos animais, checamos a fazenda, vemos se os dados e informações batem com a Receita Federal”, explicou João Guilherme, “Então o pecuarista tem a confiança de saber que está lidando diretamente com outro pecuarista”. Não há como criar contas falsas, eliminando o risco de golpes: “Na concorrência, não há essa checagem. Assim qualquer um pode ter um perfil e você não sabe para que está vendendo”, disse Abdalla.

Outra força é a quantidade de dados: “Nós colocamos tudo. Raça, peso, idade, rendimento, todas as informações necessárias, além do material de foto e vídeo”, salienta Soares. “Em muitos outros aplicativos o cara só vai lá e coloca ‘vendo vaca!’ e quem tiver interessado tem que correr atrás”, finaliza Abdalla.

O programa acaba tendo uma grande rotatividade pois quem usa a plataforma e gosta acaba usando-a mais vezes: “Os clientes que trabalham com a gente normalmente recomendam e voltam: passa o ciclo dele, ele vende e compra de novo, então nossos clientes são recorrentes e eles indicam muito”, revelou Soares, “hoje nós estamos com mais de 45 mil animais à venda na nossa plataforma e tudo é atualizado constantemente”.

O Gado e Cia é o resultado da combinação de forças dos três sócios que vem e cuidam de áreas diferentes: Abdalla com sua expertise sobre gado; Soares com seu conhecimento de vendas e negócios; e Campos com seu conhecimento de TI. O trio brinca sobre como Ydaiano teve a ideia, mas não se dava bem com tecnologia: “Eu sei ligar o computador e usar o WhatsApp”, brinca ele. Em compensação, os outros não dividiam o seu conhecimento sobre gado: “O Abdalla foi mostrando pra gente. Na minha cabeça vaca era sempre vaca”, brincou Campos.

Esta não foi a primeira versão do aplicativo, mas foi a que deu certo, tendo todo este crescimento em pouco tempo, pois ele começou a funcionar em setembro do ano passado. “Do jeito que está estamos conseguindo crescer e vender o dobro do que tínhamos conseguido antes”, conta Soares. “Temos um tempo de vida muito curto, apenas cinco meses. Temos lote do norte ao sul, já temos gente em Amazonas, na Bahia, Ceará e Acre. É muito interessante e é vender sem sair de casa”, completa Abdalla.

Segundo Maurílio, a empresa segue a estratégia dos V: “variedade, volume, velocidade e veracidade”, explica. O trio destaca que a credibilidade fez toda a diferença, assim como a quantidade de oferta e precisão dos dados. “A maior parte da concorrência só coloca um catálogo lá e deixa o usuário se virar porque a preocupação deles é com publicidade: o importante é trafego. A gente não tem nada de publicidade, a gente ganha com negócio fechado, então nosso foco é fazer a negociação dar certo”, declarou Soares. “Abrimos porteiras, literalmente”, finaliza Maurílio.

Outra vantagem é que eles investiram pesado em inteligência para mapear e traçar o perfil de compra dos usuários para que ele retorne à plataforma e encontre sempre o que está procurando. “Se você entrar no nosso aplicativo, nós vamos ver por onde você navegou, o que você procurou. De repente você estava procurando bezerra nelore. Mesmo sem entrar em contato com a gente, nós mapeamos a sua atividade para descobrir os seus produtos de interesse. Assim, com a inteligência, quando tivermos ofertas com o seu perfil, você vai receber isso primeiro pra você achar o que você procura”, conta Soares.

O plano agora é crescer, mas por partes. “Isso ainda é muito manual, mas vamos fazer tudo isso ser automatizado. Isso já está em andamento e vamos empregar inteligência artificial para cuidar disso sozinho”, promete Maurílio. O trio conta que mesmo com poucos meses de idade, já receberam ofertas.

“Apareceu gente interessada, até pecuarista e muito empresário. Mas ainda não está na hora”, disse Soares. Ele continua: “Apareceu gente dos EUA, da Bolívia e do Paraguai querendo levar a Gado e Cia para estes países. Mas de novo, calma: a política é outra, as leis são outras, é tudo diferente, então vai tudo por partes”.