Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás

Gado de elite avaliado em R$ 282 mil é recuperado na Grande Goiânia

Animais estavam escondidos em fazendas de Goiânia, Aragoiânia e Bela Vista de Goiás. Polícia supõe que crimes tenham sido ordenados por detentos

Suspeitos de furtos de gados ordenado de dentro do presídio são presos
Suspeitos de furtos de gados ordenado de dentro do presídio são presos

Policiais do Batalhão Rural prenderam, na tarde da última terça-feira (29), três suspeitos de furtos e roubos de gado de elite no Sudoeste de Goiás. Segundo a Polícia Militar (PM), o trio integrava uma suposta organização criminosa que era chefiada por em detento da Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia. Vinte animais, avaliados em R$ 282 mil, estavam escondidos na Grande Goiânia e foram recuperados.

Segundo o tenente Danilo Frauzino, foi possível chegar até os animais através de uma denúncia anônima. Os bovinos estavam espalhados em fazendas de Goiânia, Aragoiânia e Bela Vista. Os animais eram da raça Senepol, tida como de alto valor comercial. A polícia avalia que, nos últimos 60 dias, a organização tenha causado um prejuízo de 370 mil  a pecuaristas de Goiás.

Suspeitos de furtos de gado ordenado de dentro do presídio são presos

Gado recuperados foram devolvidos aos donos (Foto: divulgação/PM)

A organização criminosa tentava esconder o crime emitindo até a Guia de Transporte Animal (GTA), necessária para fazer o traslado dos animais. Danilo explica que, porém, os motoristas não sabiam onde entregariam os animais com antecedência. Esse contato era feito apenas na proximidade da cidade da entregua, para tentar driblar a polícia.

A corporação aponta que os detidos eram responsáveis pela aquisição do gado em cidades do Sudoeste do estado – como Mineiros e Jataí, as emissão das guias de maneira fraudulenta, a contratação dos motoristas, bem como a realização dos depósitos com as vendas dos animais. Danilo destaca que alguns dos bovinos também eram adquiridos por estelionato – através de cheques sem fundos no momento da compra dos animais.

Outros dois suspeitos de integrarem a organização criminosa foram presos na última segunda-feira (28) pela Polícia Civil (PC). Todos os envolvidos foram levados para a Central de Flagrantes de Goiânia. Os animais foram devolvidos aos respectivos donos.