Fundo Vozes Negras do YouTube seleciona 35 brasileiros

Com o objetivo de incentivar e propagar a cultura negra, o projeto selecionou nomes como Péricles, Urias, Mc Carol e Rael

Vozes Negras YouTube

A cultura negra vem ganhando cada vez mais espaço, com artistas e influenciadores que trazem uma contribuição gigantesca para as mais diversas áreas do entretenimento. Pensando em uma forma de incentivar a continuidade dessas produções, bem como ampliar vozes e perspectivas negras no YouTube, a plataforma desenvolveu o projeto Black Voices (Vozes Negras).

Oficialmente batizado como “Fundo Vozes Negras do YouTube (YouTube Black Voices 2021)”, a iniciativa disponibilizará um fundo de alcance global, que será usado para adquirir e produzir conteúdos para o YouTube Originals.

A intenção é garantir apoio aos criadores de conteúdo e artistas negros por todo o Brasil e outras partes do mundo. Para se ter ideia, foram anunciados nesta terça (12) 132 escolhidos, com nomes do Brasil, Austrália, Nigéria, Estados Unidos, Quênia e Reino Unido.

Foram 35 brasileiros escolhidos para a primeira turma global do Vozes Negras. Alguns deles são Ana Paula Xongai, Gabi Oliveira, Dois por Cento TV, Spartakus, 10ocupados, além dos artistas Péricles, Rael, Mc Carol e Urias.

A ação foi lançada pelos telões da Times Square, em Nova York, e da Olympic Boulevard, em Los Angeles.

Entenda como funciona o Fundo Vozes Negras

vozes negras YouTube

Artistas de destaque global do projeto. (Foto: Divulgação)

A iniciativa, que foi lançada em outubro de 2020, é um compromisso global do YouTube para contribuir com a criação de conteúdo de artistas e criadores negros.

De acordo com Bibiana Leite, Head de parcerias e líder do YouTube Black para a América Latina: “Nosso objetivo é apresentar narrativas inovadoras que enfatizem o poder intelectual, autenticidade, dignidade e alegria das vozes negras, bem como educar o público sobre a justiça racial”.

Dessa forma, a plataforma de vídeos trabalhará em colaboração com os criadores selecionados, com o intuito de incentivá-los a produzir mais, ajudando ainda a prosperarem.

Para isso, será disponibilizado um suporte bastante dedicado, além de um financiamento inicial em dinheiro.

Os selecionados também terão a oportunidade de participar de uma experiência imersiva, coordenada pela Incubadora de Criadores do Youtube, com 3 semanas de workshops virtuais para ajudar nas produções e administração do negócio.

A partir desta nova etapa e com o sucesso do Fundo Vozes Negras, o YouTube se compromete a manter o fundo ativo por pelo menos 3 anos. A intenção é colaborar com mais de 500 criadores até o fim do projeto, sendo que as inscrições para a edição de 2022 serão abertas dentro dos próximos meses.