Sopro Novo

Fundação Yamaha e Geed estabelecem parceria para prevenção às drogas por meio da música

A parceria foi firmada nesta quinta-feira (20) durante visita do gerente de projetos do terceiro setor da Yamaha Musical do Brasil, João Takao Shirahata, ao Geed


Thiago Burigato
Do Mais Goiás | Em: 21/07/2017 às 16:51:31

(Foto: Divulgação/Geed)
(Foto: Divulgação/Geed)

O Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (Geed) e a Fundação Yamaha vão atuar juntos em um projeto de enfrentamento às drogas. A parceria foi firmada nesta quinta-feira (20) durante visita do gerente de projetos do terceiro setor da Yamaha Musical do Brasil, João Takao Shirahata, ao Geed, onde foi recebido pela diretora-gera da entidade, Ivânia Fernandes.

Durante a visita, o representante da Fundação Yamaha conheceu de perto as ações do Geed, e reconheceu a importância do trabalho preventivo nas escolas. João Takao veio a Goiânia a convite do músico Max Bennet, coordenador da banda EX4, de São Paulo, que já realiza um trabalho social nas escolas paulistas e goianas.

Em Goiás, o Geed leva a música como forma de estimular a musicalidade junto aos jovens para contribuir com a prevenção às drogas. Segundo Takao, o objetivo da Yamaha com a parceria vai ser dar novas opções aos jovens atendidos, envolvendo-os em atividades prazerosas e promover a música como elemento cultural.

Depois de apresentar a Takao as instalações do Geed, ele e Ivânia foram ao Credeq, onde contemplaram de perto as instalações físicas e as atividades daquela unidade de saúde do Estado. De lá, visitaram o Ceat-AD, onde viram na prática o Projeto Abraçando as Famílias.

Finalizando a visita do dia, o gerente da Yamaha se reuniu com técnicos do Geed para elaborar propostas afins. Na oportunidade, Ivânia mostrou ao gerente os resultados obtidos por meio de projetos de estímulo à arte, como Farol, VemSer, João de Barro e Vem$er Empreender.

Sopro novo

O projeto Sopro Novo da Yamaha é um programa implantado há 12 anos para a formação de professores de música, que visa a musicalizar adultos e crianças, contribuir para a formação de futuros artistas e aproximar as pessoas da música. O processo observa três tipos: flautas doce, tenor e baixo.

O projeto objetiva lançar semente contribuindo com a formação de futuros artistas ou até mesmo um público mais exigente, e “um modo eficaz de sermos agente de mudança no desenvolvimento cultural das pessoas, inspirando artistas com beleza e qualidade de seus instrumentos, facilitando o contato das pessoas com a linguagem musical”.