Do Mais Goiás

Funcionários do HDT estão com 20 dias de salários atrasados

Governo do estado afirma que repasses para OS são feitos de forma regular

Funcionários do Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT), em Goiânia, reclamam de atrasos nos pagamentos dos salários. A denúncia foi encaminhada ao Mais Goiás por uma servidora da unidade que não quis se identificar. A pessoa afirma que já são mais de 20 dias de atraso.

“Muitos estão com o aluguel e outras contas atrasadas. Temos que recorrer às nossas famílias para nos ajudarem com as despesas”, conta a funcionária. Ela afirma ainda que os atrasos são recorrentes há mais de dois anos, mas que neste mês está pior do que o de costume.

De acordo com a denúncia, além dos atrasos, o HDT sofre com as faltas de verbas. 30 leitos do hospital estariam fechados por causa da contenção de despesas. Os atendimentos ambulatoriais também foram diminuídos e médicos foram dispensados.

E também faltam medicamentos e insumos básicos. “Não temos sequer máscaras de proteção. Essa situação expôs os funcionários a doenças graves, como a tuberculose. Alguns já estão com sintomas e estão sendo medicados”, diz o servidor.

Direitos trabalhistas

Entre as reclamações está também a falta de pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) desde janeiro. Além disso, férias foram canceladas e o pagamento de salários tem sido feito com um escalonamento por grupos salariais. O funcionário revelou ainda que contratos com terceirizados foram beneficiados, o que tem diminuído a qualidade dos serviços prestados.

Os funcionários marcaram uma assembleia na porta do Hospital para a próxima quinta-feira (27), com objetivo de avaliar a situação. A possibilidade de paralisação não está descartada.

Resposta

O HDT é gerido pela Organização Social (OS) Instituto Sócrates Guanaes (ISG). Aos trabalhadores, o instituto afirmou que os problemas são causados pela falta de repasses do governo.

Por meio de nota, o Governo de Goiás rebateu a afirmação e afirma que os repasses têm sido feitos de forma regular. O texto diz ainda que, só em 2019, foram repassados cerca de R$ 28,5 milhões ao ISG para gestão do HDT.

O documento afirma, entretanto, que ainda existem dívidas deixadas pela administração anterior. “A secretaria esclarece que é totalmente impraticável arcar, em tão pouco tempo, com dívidas de meses ou anos, apesar de todo empenho para angariar recursos junto ao governo federal”.

Procurada pelo Mais Goiás, o ISG, através da direção do HDT, afirmou que não vai se pronunciar sobre o caso.