Larissa Feitosa
Do Mais Goiás

Funcionárias do Burger King são agredidas por clientes em São Paulo; vídeo

Funcionária teria mostrado dedo a cliente insatisfeito

Funcionárias do Burger King são agredidas por clientes em São Paulo; vídeo
Um vídeo feito por clientes mostrou o momento em que os envolvidos na confusão derrubaram equipamentos do balcão e agrediram funcionários. (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Uma confusão na rede de fast-food Burger King deixou duas funcionárias, de 18 e 21 anos, feridas. Segundo as jovens, elas foram agredidas por clientes da rede, na madrugada deste sábado (20), na Zona Leste de São Paulo, após uma briga generalizada no estabelecimento.

Um vídeo feito por clientes mostrou o momento em que os envolvidos na confusão derrubaram equipamentos do balcão e agrediram funcionários. Um adolescente de 17 anos é um dos suspeitos de ter agredido as duas jovens.

O estudante teria dito a Guarda Civil Metropolitana (GCM) que estava no estabelecimento com a namorada e o irmão quando foi reclamar da demora de seu pedido. De acordo com ele, uma das funcionárias fez um gesto com o dedo, o que teria dado início a uma briga entre eles.

As funcionárias foram levadas ao AMA da Sé para atendimento médico. A Polícia Civil, que investiga o caso, solicitou exames periciais ao Instituto Médico Legal (IML). A ocorrência foi registrada como como dano e lesão corporal no 8º DP (Brás).

O que diz o Burger King

A rede Burger King, responsável pelo restaurante, informou que registrou um boletim de ocorrência e que está colaborando com as investigações para que as medidas cabíveis sejam tomadas. O estabelecimento disse ainda repudia a violência, a depredação e a falta de respeito.

“O Burger King esclarece que está colaborando com as investigações para garantir que as medidas cabíveis sejam tomadas. A companhia já abriu boletim de ocorrência e busca a responsabilização dos envolvidos. Repudiamos a violência, a depredação e a ausência do respeito – esse que é o princípio de todas as relações humanas”, disse a rede em nota.

*Com informações do G1