Propaganda Irregular

Frigorífico é intimado pela Justiça Eleitoral por propaganda irregular de Bolsonaro em Goiânia

O proprietário do estabelecimento anunciou uma promoção onde uma peça de carne passou de R$39 para R$17, fazendo referência ao número do presidenciável

Cidades

Kayque Juliano
Do Mais Goiás | Em: 24/10/2018 às 15:46:38

O dono do estabelecimento informou que a promoção vai continuar no sábado (27)
O dono do estabelecimento informou que a promoção vai continuar no sábado (27)

O proprietário do Frigorífico Goiás, localizado na Vila Rosa, em Goiânia, foi intimado nesta terça-feira (23) pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE), pela prática de propaganda eleitoral irregular. Na ocasião, o dono do frigorífico havia divulgado uma promoção, onde três produtos tiveram seus valores alterados para R$17, fazendo referência ao número do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Na divulgação, ele cortou um pedaço de carne com o número 17, além de usar hashtags mencionando o candidato. Uma das regras da promoção era que o carro do cliente tivesse adesivos do presidenciável.

O TRE determinou que o proprietáro cessasse imediatamente “a prática ilegal que vem ocorrendo ao oferecer vantagem ao eleitor que estiver com adesivo do candidato à Presidência da República, Jair Messias Bolsonaro”

Após receber a carta de intimação, o proprietário escreveu no perfil da empresa no instagram “Depois de um dia de muito trabalho, olha a recompensa que acabei de receber” e concluiu com as hashtags “Esse é o Brasil que eu não quero”

O dono do frigorífico, que preferiu não ter a indentidade divulgada, informou que a promoção era válida para todos os clientes, independente do candidato, mas que a regra do adesivo foi só para chamar atenção.

“Ninguém estava fiscalizando se os carros estavam adesivados, só colocamos a regra do adesivo para chamar atenção. Os clientes fizeram fila para comprar as carnes, nós vendemos cerca de 17 toneledas dos produtos”, explica o dono.

O empresário reforçou que a promoção vai continuar neste sábado (27), no entanto, a regra do adesivo foi retirada para que não haja mais polêmica.