Operação Decantação

Fraudes na Saneago são apuradas pela PF na terceira fase da Operação Decantação

Nesta fase, estão sendo cumpridos três mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão em Goiânia e Inhumas. São alvos nesta etapa da operação um grupo de 11 empresas prestadoras de serviços à Saneago

Cidades

Kayque Juliano
Do Mais Goiás | Em: 04/04/2019 às 09:11:20

PF deflagra Operação contra aplicadores do Enem (Foto: Arquivo/Agência Brasil)
PF deflagra Operação contra aplicadores do Enem (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (4) a terceira fase da Operação Decantação. Nesta etapa, estão sendo cumpridos três mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão em Goiânia e Inhumas. O objetivo é desarticular uma associação criminosa na Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago) especializada em fraudes de licitação e desvio de verbas públicas. Segundo a investigação, crimes foram praticados por empresários, dirigentes das empresas e agentes públicos do governo estadual entre os anos de 2012 e 2016.

São alvos nesta etapa da operação um grupo de 11 empresas prestadoras de serviços à Saneago suspeitas de fraudarem pelo menos oito procedimentos licitatórios na modalidade Carta Convite, além de outras 83 contratações realizadas mediante dispensa de licitação entre nos anos de 2012 e 2018.

Materiais colhidos na primeira fase da Decantação revelaram que empresas de fachada foram criadas para que os envolvidos participassem dos processos licitatórios cujos resultados eram fruto de ajustes pré-determinado pelo grupo de empresários. Quatro dessas companhias ficaram responsáveis pela execução de 61 obras em Goiás entre 2012 e 2018.

Os crimes, apurou a PF, foram praticados com apoio de um membro da Comissão de Licitação e de um pregoreiro da Comissão Permanente de Licitação da Saneago.

Ao todo, 60 policiais federais estão dando cumprimento nos mandados de prisão e apreensão expedidos pela 11º Vara Federal de Goiás. Também foi determinado o afastamento da função pública de dois servidores da companhia de saneamento.

Histórico

Em outras fases da Operação Decantação, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do ex-governador José Eliton e prendeu ex-gestores da estatal, além de sócios da empresa que eram favorecidos pelo esquema.

Os crimes de associação criminosa, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa e fraudes em processos licitatórios, somados, podem render até 41 anos de prisão.

Aguarde, essa informação será atualizada