ELEIÇÕES

Francisco Jr: “Há soluções melhores que a quarentena 14×14 para Goiânia”

Deputado foi escolhido para ser o candidato do PSD a prefeito. Ao Mais Goiás, ele fez críticas à gestão de Iris Rezende


Alexandre Bittencourt
Do Mais Goiás | Em: 05/07/2020 às 14:03:56

Deputado federal Francisco Júnior, pré-candidato do PSD a prefeito de Goiânia (Foto: Perfil do deputado no Facebook)
Deputado federal Francisco Júnior, pré-candidato do PSD a prefeito de Goiânia (Foto: Perfil do deputado no Facebook)

Escolhido neste domingo (5) para ser o candidato do PSD a prefeito de Goiânia, o deputado federal Francisco Júnior disse, em entrevista ao Mais Goiás, que o revezamento entre comércio fechado e comércio aberto a cada 14 dias não era, necessariamente, a melhor opção para cidade no momento. 

Francisco critica o seu provável adversário na disputa, o prefeito Iris Rezende (MDB), pela forma como decidiu adotar o modelo – que foi proposto pelo governador Ronaldo Caiado (DEM). “Não dá para impor nada nessa situação. Teria que ter havido mais diálogo. Os empresários e trabalhadores estão muito conscientes do risco. Se os chamássemos para conversar, encontraríamos um caminho que contasse com adesão maior”, diz o deputado. 

Francisco afirma que o escalonamento do comércio – estratégia que a prefeitura chegou a adotar, por alguns dias – é uma opção mais interessante do que o fechamento de estabelecimentos comerciais por duas semanas. “O problema é a aglomeração de pessoas no transporte coletivo. A possibilidade de alternar horários, alternar atividades ajudaria nisso”. 

O pré-candidato do PSD aposta que a Saúde será o tema que galvanizará a atenção dos eleitores neste ano. Ele afirma que Iris não conduziu com transparência a rede de atendimento básico da Capital, que está sob a jurisdição da prefeitura, neste mandato. “Há anos eu tento uma audiência com a secretária [Fátima Mrué], mas ela nunca me recebeu. Pessoa que não conversa, que não tem diálogo. Alienada, fechada. Por que a população está angustiada? Porque as pessoas não conseguem entender as decisões na prefeitura”. 

O deputado afirma que falta de transparência é um defeito da administração como um todo. “Há poucos meses, contraíram um empréstimo de milhões para recapeamento de vias urbanas. E todos nós sabemos como está o asfalto de Goiânia”. 

“Rebatismo da cidade”

Francisco afirma que o partido escolheu o dia 5 de julho para anunciar a sua candidatura por ser o aniversário do batismo cultural da cidade. Ele diz que Goiânia precisa ser “rebatizada, redescoberta, reestruturada” e que, nos últimos três anos e meio, Iris “não conseguiu mais imprimir marcas” que fizeram dele um gestor com história fantástica. 

“A cidade foi ficando sem governo, sem controle. Goiânia está disforme. É preciso fazer um processo de redescoberta da Capital”. Francisco lamenta que Iris não tenha avançado no debate sobre medidas inteligentes para o trânsito, gestão do transporte coletivo e descentralização administrativa. Lamenta também que a obra de construção do BRT esteja travada. 

Francisco era uma das duas opções do PSD para a eleição de prefeito. A outra era o senador Vanderlan Cardoso. Em nota assinada por todos os principais nomes do partido neste domingo, o PSD afirma que Vanderlan optou por se dedicar ao debate sobre a reforma tributária no Congresso.