COVID-19

Ford vai aquecer cabine de carros para combater coronavírus

Montadora desaconselha motoristas a aquecer cabine dos veículos por conta própria


Laylla Alves
Do Mais Goiás | Em: 28/05/2020 às 17:35:37

(Foto: divulgação)
(Foto: divulgação)

Em parceria com a universidade de Ohio, a montadora de veículos Ford desenvolveu uma forma pouco convencional de reduzir o risco de propagação do coronavírus: aquecer a cabine dos veículos.

Em nota, a fabricante explica que elevar a temperatura da cabine para 56 graus e mantê-la neste patamar por 15 minutos é eficaz no propósito de deisinfecção dos veículos. O sistema já está disponível para o modelo Police Interceptor Utility, produzido pela Ford entre 2013 e 2019 e utilizado como viatura policial no Canadá e nos Estados Unidos.

“Nossos estudos com a Ford Motor Company indicam que a exposição ao vírus do coronavírus a temperaturas de 56 graus Celsius ou 132,8 graus Fahrenheit por 15 minutos reduz a concentração viral em mais de 99% nas superfícies e materiais internos usados ​​nos veículos Police Interceptor Utility”, disseram Jeff Jahnes e Jesse Kwiek, supervisores de laboratório do departamento de microbiologia da Universidade de Ohio.

A empresa fez várias modificações nos carros, por isso, não é aconselhável que alguém tente executar este procedimento por conta própria.

Como a desinfecção é feita

A desinfecção é feita por meio da instalação de um software, que gerencia o sistema de climatização usando o próprio motor do veículo. Após a temperatura chegar a 56 graus, ela é mantida por 15 minutos, depois acontece um processo de resfriamento que reduz a temperatura dos pontos mais altos.

Ford vai aquecer cabine dos carros para reduzir contaminação de covid-19

(Foto: Divulgação)

Enquanto acontece a desinfecção, o veículo avisa quem está fora por meio de luzes que alteram quando o processo é concluído.

Segundo a Ford, a tecnologia pode desinfectar lugares que a limpeza manual não conseguiria alcançar, pois o calor tem a capacidade de penetrar nas fendas e nas áreas de difícil acesso.

*Com informações do Auto Esporte (G1)