Mais uma

Força-tarefa do MP oferece 9ª denúncia contra João de Deus

Dessa vez, líder espiritual é acusado de praticar estupro contra seis mulheres em condição de vulnerabilidade. Os crimes teriam ocorrido em sala privativa de atendimento individual, em Abadiânia


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 28/05/2019 às 10:21:29

Médium está detido desde dezembro de 2018 (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil).
Médium está detido desde dezembro de 2018 (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil).

A Força-tarefa do Ministério Público de Goiás (MP-GO) criada para investigar crimes sexuais supostamente praticados pelo médium João de Deus apresentou, nesta segunda-feira (28), mais uma denúncia ao Judiciário. Desta vez, o líder espiritual é acusado de praticar estupro contra seis mulheres em condição de vulnerabilidade. Os crimes teriam ocorrido em sala privativa de atendimento individual, em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal. Esta é a 9ª denúncia enfrentada pelo religioso.

Segundo informações do MP, as vítimas são do Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e duas do Paraná. Ainda conforme expõe o órgão, todas as vítimas apresentavam algum tipo de vulnerabilidade, das quais o denunciado se aproveitou para consumar as agressões sexuais. Uma delas, de acordo com a última peça, é deficiente visual.

Todos os estupros atribuídos a João de Deus teriam sido praticados em sala privativa de atendimento individual onde o médium realizava. O Mais Goiás entrou em contato com a defesa do denunciado e aguarda um posicionamento.

Por determinação da do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João de Deus foi encaminhado para o Instituto de Neurologia de Goiânia no final de março, onde permanece internado. Ele foi preso no dia 16 de dezembro de 2018 sob a acusação de violação sexual mediante fraude e de estupro de vulnerável. O investigado nega as acusações.