FolhaPress

Fluminense demite técnico Fernando Diniz

Trenador deixa o tricolor na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e nas quartas de final da Copa Sul-Americana

Fernando Diniz não é mais técnico do Fluminense. O treinador não resistiu à derrota para o CSA, no Maracanã, na tarde de domingo (18), e foi demitido do clube carioca. A mudança na comissão técnica foi anunciada na manhã desta segunda-feira (19) por meio de uma nota oficial.

“O Fluminense FC desligou, na manhã desta segunda-feira (19/08), o técnico Fernando Diniz. O clube agradece ao treinador e deseja sorte em sua carreira. A diretoria trabalha na contratação do novo treinador e o auxiliar técnico Marcão assume a equipe interinamente”.

Fernando Diniz foi contratado no fim do ano passado para comandar o time nesta temporada -com vínculo até o fim do ano. A negociação foi feita ainda na gestão do presidente Pedro Abad. Ele deixa o Fluminense na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e nas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Antes favorável ao trabalho de Diniz, a torcida protestou contra o treinador após o revés contra o CSA, deixando a situação insustentável. Ele foi xingado, enquanto os atletas foram chamados de “sem vergonha”.

Semana passada, Celso Barros, vice-geral e homem forte do futebol do Fluminense, já havia indicado sinais de que a avaliação do trabalho do técnico não era das mais positivas, salientando que não bastava o time jogar bem, mas que era necessário ter bons resultados. A entrevista aconteceu depois de uma reunião do dirigente com o elenco e comissão técnica. A cobrança não caiu bem no elenco.

Acompanhado de Celso Barros e do diretor de futebol Paulo Angioni, o presidente Mario Bittencourt conversou com Fernando Diniz ontem no vestiário. Na coletiva, entretanto, o treinador negou que seu trabalho fosse o assunto.
Esta foi a segunda passagem de Diniz no Fluminense.

Como jogador, ele defendeu o Tricolor entre 2000 e 2003, sendo campeão carioca em 2002. Neste ano, o time tricolor, em 44 jogos, teve 18 vitórias, 11 derrotas e 15 empates. Foram 71 gols a favor e 48 sofridos.