Do Mais Goiás

Filho de Cachoeira consegue liminar para construção de shopping no Daia

A transação havia sido suspensa depois que o deputado estadual Humberto Teófilo levantou suspeitas de favorecimento, por parte da estatal, supostamente em benefício da empresa ETS Emprendimentos, mantida por Matheus Ramos

Anápolis tem nove nomes na disputa pela prefeitura
Anápolis tem nove nomes na disputa pela prefeitura

O empresário Matheus Henrique Aprígio Ramos, filho de Carinhos Cachoeira, ganhou na Justiça o direito de manter contrato de aquisição de lotes negociados com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) para construção de um shopping no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). A transação havia sido suspensa depois que o deputado estadual Humberto Teófilo levantou suspeitas de favorecimento, por parte da estatal, supostamente em benefício da empresa ETS Emprendimentos, mantida por Matheus. A decisão foi publicada neste sábado (27).

Caso a decisão seja descumprida, o órgão deverá pagar multa diária de R$ 10 mil, cobrança limitada em 30 dias. “No caso em testilha, verifico que o direito invocado pela Impetrante, à luz dos fatos declinados na petição inicial e documentos que a instruem, é razoável, existindo a possibilidade de, ao final, ser reconhecida a irregularidade ou injuridicidade do ato praticado”, ponderou a juíza Elaine Christina Alencastro Veiga Araujo.

Relembre

As áreas, que consistem nos módulos 50 e 51, somam 22 mil mestros quadrados e foram adquiridas por R$ 53.424,62. Teófilo, com base em parecer do ex-presidente do Codego Pedro Sales e em documentos da Controladoria Geral do Estado (CGE), afirmou que as áreas estão avaliadas em R$ 5 milhões. Ainda, apontou que, para fazer a compra, a ETS deveria realizar uma demonstração dee capacidade financeira, o que não foi apresentado.

As indagações geraram desgastes e resultaram no desligamento de Marcos Cabral da presidência do órgão. Ele assumiu cargo de assessor Especial da Governadoria. A atuação de Humberto ainda provocou a ira de Carlinhos Cachoeira, que saiu em defesa do filho. Ambos protagonizaram discussão acalorada, que pode ser verificada em matérias publicadas pelo Mais Goiás.

O atrito teve início depois que Humberto, em vídeo gravado e publicado em suas redes sociais, levantou a suspeita de que Matheus estivesse agindo como laranja para os negócios de Cachoeira.