Isabela Gonçalves
Do Mais Goiás

Festival da Diversidade acontece neste fim de semana, online e gratuito 

Em sua primeira edição, o Diversicon acontece entre os dias 9 e 11 de abril, com painéis, debates e shows

Diversicon - Festival da Diversidade
DJ CranMarry se apresenta na sexta-feira (Foto: Divulgação)

Em um mundo cada vez mais plural, se faz necessário o debate e a exaltação da diversidade, abrindo as portas para que todos tenham seu espaço e sejam aceitos com suas particularidades. Visando justamente propor uma realidade mais acolhedora e menos normativa, vem aí a primeira edição do Diversicon – Festival da Diversidade.

O evento acontece a partir desta sexta-feira (9) e segue até domingo (11), apresentando painéis, bate-papos e apresentações culturais completamente gratuitas, exibidas pelo canal no YouTube do festival (clique aqui para acessar).

O Diversicon foi idealizado a partir de três pilares conceituais: raça, corpo e território. As categorias englobam os debates que constroem a ideia de diversidade e, por meio delas, é possível falar sobre temas sensíveis e bastante necessários, como o racismo estrutural, capacitismo, gênero, imigração, branquitude, entre várias outras pautas que também ganharão espaço durante o festival.

Sobre o Diversicon – Festival da Diversidade

Diversicon - Festival da Diversidade

Jade Odara também se apresenta no Diversicon (Foto: Divulgação)

As lives do dia 9 acontecem a partir das 17 horas, com o mote “A Cultura e os Corpos em Movimento”. Quem comanda a atrações do dia, são Jade Oliveira e a DJ CranMarry.

Durante a live “Repensar a Norma: uma conversa sobre acolhimento da diversidade”, Amanda Palha, militante, travesti e educadora popular, e Ricardo Sfeir, modelo, creator e ativista, trocam uma ideia sobre o tema. Para encerrar, a cantora, compositora, poetisa e rapper, Bixarte, faz uma apresentação super especial.

Outra live acontece às 20h do mesmo dia, com o tema “Cultura e Representatividade: sobre marcadores de opressão e privilégios”. Quem participa é Leandrinha Du Art, ativista LGBTQIA+ e PCD, Luciana Rangel, creator e apresentadora. A apresentação final fica por conta de Katú Mirim, que é rapper, atriz e ativista da causa indígena.

As lives dos dias seguintes seguem a mesma linha, abordando sobre temas que refletem a cultura estrutural, desigualdade e a importância da resistência. Além das conversas e shows, vale mencionar que o Diversicon ainda traz dois estandes virtuais, que acontecem paralelamente ao evento.

Para participar dos estandes, é preciso fazer inscrição pelo Sympla, de forma gratuita. As salas serão particulares e comportam um público de até 100 pessoas. O primeiro estande tem o tema “Aconselhamento Sobre Retificação de Documentos”, que acontece no sábado (10), a partir das 13h (clique aqui para se inscrever).

Já o segundo, é o “Workshop de Melhores Práticas no Linkedin”, que acontece no domingo (11), a partir das 13h (clique aqui para se inscrever).

Segundo Erica Arikawa, que é a idealizadora do evento: “Em um momento em que a diversidade vem tomando conta dos debates políticos e culturais de forma bastante polêmica, propomos um evento construído a partir de premissas da representatividade e dedicado a despertar empatia na sociedade. No Diversicon, a diversidade está no palco principal, junto com as responsabilidades que vêm junto com ela“.

Serviço

Diversicon – Festival da Diversidade

Quando: 9 a 11 de abril (sexta a domingo)

Onde: YouTube Diversicon

Acesso: gratuito

Leia também: