Do Mais Goiás

Festa clandestina com 300 pessoas de torcida organizada é encerrada em Aparecida

A fiscalização da cidade também encerrou outros noves eventos clandestinos e interditou três lugares por falta de alvarás

fiscalização
Festa clandestina de torcida organizada com 300 pessoas é encerrada em Aparecida (Foto: divulgação - Prefeitura de Aparecida)

Uma festa clandestina da torcida organizada Esquadrão Vilanovense foi interditada pela fiscalização de Aparecida de Goiânia, na noite do último sábado (11). O evento ocorria em um espaço de festas que fica no Setor Cidade Satélite São Luiz e contava com a presença de cerca de 300 pessoas. Outras nove festas também foram encerradas na cidade.

Segundo a Prefeitura, os fiscais ficaram sabendo do evento da torcida organizada após vizinhos denunciarem a festa por perturbação de sossego. O evento foi encerrado e o proprietário do local foi multado em R$ 13 mil por promover aglomeração de pessoas durante a pandemia da Covid-19 e desrespeito às regras estabelecidas por portarias municipais.

Mais festas clandestinas foram canceladas

Ao todo, a fiscalização interditou três locais por falta de alvará. Quatro foram multados por aglomeração e nove festas clandestinas foram encerradas. A fiscalização checou diversas denúncias de perturbação do sossego público, apreendendo quatro carros com som automotível e três caixas de som mecânico. Veículos foram apreendidos na Vila Brasília, no Setor dos Afonsos e na Vila Mariana.

Na madrugada deste domingo (12), foi a vez de uma festa clandestina que era realizada no Setor Fabrício ser interditada. No local, estavam mais de 200 pessoas. O organizador do evento foi multado em R$ 12.670 por promover festa clandestina e aglomeração.

“As festas são permitidas em Aparecida, mas em espaços destinados para eventos, sendo permitido 40% da capacidade do local, não podendo ultrapassar 150 pessoas. Além disso, devem ser seguidas todas as regras sanitárias como distanciamento e uso de máscara”, apontou o coordenador geral da força-tarefa de fiscalização, Davi Lorero.

Durante a noite e madrugada de sábado para domingo, a força-tarefa visitou 69 lugares entre bares, restaurantes e distribuidoras de bebidas. Um bar foi multado em R$ 12 mil por aglomeração de pessoas e por falta de alvará de funcionamento. No local, estavam 108 pessoas sem máscara de proteção facial contra a Covid.

“Mesmo com permissão para realização de show ao vivo, o proprietário extrapolou o que estava permitido e não apresentou toda a documentação para funcionamento aos fiscais”, comentou o subcoordenador da fiscalização, Delazaro Gomes.