Do Mais Goiás

Fernando Henrique Cardoso espera que Maia aceite ir para o PSDB

Ex-presidente da Câmara disse que deixará o DEM e irá para um partido de oposição a Bolsonaro

Fernando Henrique Cardoso espera que Maia aceite ir para o PSDB
Fernando Henrique Cardoso espera que Maia aceite ir para o PSDB (Foto: Reprodução / Facebook)

Para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o PSDB fez bem em convidar o deputado federal Rodrigo Maia (DEM) para a sigla. “Tomara que aceite”, escreveu no Twitter, nesta terça (9). Na segunda-feira (8), o governador de São Paulo João Doria (PSDB) confirmou ter feito o convite.

Em entrevista ao Valor Econômico, o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia disse que deixaria o Democratas e que o partido regrediu aos tempos de Arena, se voltando à extrema-direita. Ele também criticou o gestor de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e o presidente da sigla, ACM Neto, na postura diante da eleição do parlamento federal.

O governador de Goiás não gostou e reagiu: “Ele [Rodrigo Maia] faz questão de deixar claro que está saindo do Democratas e colocando seu nome a leilão. A sua entrevista não deve ser considerada pela classe política porque é indicadora de internação hospitalar.”

FHC e Maia

De volta a Fernando Henrique Cardoso, o tucano afirmou que Rodrigo presidiu corretamente a Câmara e é bom quadro político. “Tomara que aceite.”

Já Maia não se manifestou sobre o assunto. Contudo, ainda na entrevista ao Valor Econômico ele informou que já pode dizer ser oposição a Bolsonaro (sem partido). “Quando era presidente da Câmara, não podia dizer. Mas agora quero um partido que eu possa dormir tranquilo de que não apoiará [o presidente]. (…) Não quero participar de um projeto que respalda todos os atos antidemocráticos”, acusou.

Destaca-se, Rodrigo Maia apoiou Baleia Rossi (MDB-SP) na disputa pela presidência da Câmara contra o nome do presidente Bolsonaro (sem partido), Arthur Lira (PP-AL), que foi foi eleito em primeiro turno. Inicialmente, o DEM apoiaria Baleia, mas na véspera da eleição optou pela neutralidade, tendo a maioria de seus deputados votado no progressista – inclusive, os goianos Zé Mario e Zacharias Calil.